CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > MEDICINAL > Estudos comprovam eficácia da maconha no tratamento da dor crônica

Estudos comprovam eficácia da maconha no tratamento da dor crônica


Experiências científicas ao redor do mundo atestam a eficácia da maconha em amenizar as dores, como é o caso dessa pesquisa recém-lançada no Journal of Neuroimmune Pharmacology. 

Conduzida por pesquisadores do Departamento de Anestesiologia da Dalhousie Universitya investigação apontou que a maconha pode ser um tratamento seguro e eficaz para dores crônicas.

Muito além de um estudo isolado, a iniciativa consiste numa metanálise que inclui a “revisão sistemática atualizada de ensaios clínicos randomizados que examinam o uso dos canabinoides no tratamento da dor crônica não-oncológica, conduzida de acordo com diretrizes PRISMA para revisões sistemáticas de relatórios sobre cuidados de saúde “, afirma o resumo disponível aqui.

“De onze ensaios, sete demonstraram que a maconha possui um significante efeito analgésico. Diversos outros ensaios também indicaram melhora em outros sintomas, como dificuldade para dormir, rigidez muscular e espasticidade”, completou a Dr. Mary Lynch, responsável pelo estudo.

Outros efeitos adversos, como fadiga e tontura, foram ligeiramente observados e geralmente bem tolerados. “A revisão mostra que os canabinoide são seguros no tratamento das dores crônicas”, finaliza.

Clique aqui para saber mais.

You may also like
Maconha deve gerar negócios bilionários no Canadá
CBD auxilia tratamento da síndrome de Lennox-Gastaut
Plantio de maconha mobiliza empresas no Brasil
CBD apresenta efeitos promissores no tratamento das “crianças-borboleta”

2 Responses

  1. Eduardo Spínola

    Sofro de dor crônica há 20 anos, diagnosticada como fibromialgia. Qual o modo mais fácil e rápido para importar o canabidiol natural ou sintético?

    1. Olá, Eduardo

      O primeiro passo é procurar seu médico e solicitar uma receita para que possa dar prosseguimento ao pedido de importação junto a Anvisa.

      Abraço!

Leave a Reply