CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > CULTURA > GENTE > Conheça os principais políticos do Brasil e do mundo que saíram em defesa da cannabis

Conheça os principais políticos do Brasil e do mundo que saíram em defesa da cannabis


Nossos cenários sociais só mudaram para melhor nos últimos séculos graças aos grandes movimentos de libertação do homem. Muitas pessoas lutaram e morreram pela liberdade em todas as formas.

Embora alguns ainda em pleno século XXI insistam em lutar contra a liberdade, fundamentados no conservadorismo e no controle religioso, muitos políticos fizeram e continuam fazendo a sua parte quando o assunto é apoiar a legalização da cannabis.

EUA: de George Washington a Barack Obama

Berço da proibição, os Estados Unidos também se destacam por, contraditoriamente, possuírem diversos ex-governantes que simpatizavam com a erva.

georgewashington

George Washington, primeiro presidente do país, plantava maconha em seu quintal. Na época, as pessoas utilizavam normalmente preparações de cânhamo para lidar com dores de dente. A própria constituição daquele país foi escrita em uma folha de papel de cânhamo.

John F. Kennedy chegou a utilizar maconha para se curar de dores dentro da própria Casa Branca.

Isso sem falar nos presidentes militares Andrew Jackson, Zachary Taylor e Franklin Pierce, que costumavam fumar um baseado junto com as suas tropas.

O mais recente presidente norte-americano que defende a maconha é Barack Obama, que se elegeu em 2008 afirmando que fumou muitos baseados quando jovem. Disse ainda, em entrevistas, que os jovens pobres que fumam maconha vão presos com muito mais frequência do que os jovens ricos.

Além desses, outros presidentes norte-americanos – dentre os quais Thomas Jefferson, James Madison e James Monroe – foram simpatizantes da causa. Já que muitos brasileiros adoram copiar os americanos em tudo o que fazem, bem que poderiam começar copiando a legalização.

Políticos 420 pelo mundo afora

mujicaJose Mujica, ex-presidente uruguaio, foi o primeiro presidente do mundo a assinar um decreto que regulamenta a maconha. Transformado em ídolo dos maconheiros, ele afirmou ainda que legalizar não é uma medida que apoia o vício; ao contrário, “é uma forma de combater a economia do tráfico”. A nova legislação adotada pelos nossos vizinhos do Uruguai tem como objetivo dar um golpe nos cartéis, impedindo-os de lucrar. Em seus 80 anos de experiência de vida, Mujica presenciou a destruição em massa que a proibição causa.

Recentemente, na Inglaterra, um partido novo chamado CISTA (Cannabis Is Safer Than Alcohol) foi representado pelo candidato a prefeito Lee Harris, que trazia como seu slogan de campanha  “Em vez de deixar o dinheiro do comércio da maconha com os chefes do tráfico, poderíamos usá-lo para a sociedade”. Sua proposta foi mostrar que a funcionalidade está na liberação da maconha norteada por um sistema sensato de impostos, semelhante ao adotado pelos estadunidenses.

Harris disse ainda que a proibição só gerou opressão e hipocrisia. Mesmo sendo proibida no Reino Unido, estima-se que a erva seja usada por um em cada três britânicos. Se os britânicos contam com um partido apenas para defender a cannabis, nós brasileiros também temos direito. Queremos um partido apenas para defender a maconha no Brasil.

Enquanto isso, no Brasil…

gabeiraEm terras brasileiras, o primeiro político que teve a coragem de abraçar a causa canábica foi Fernando Gabeira, ex-deputado federal pelo Rio de Janeiro. Juntamente com seus companheiros, defendeu a legalização da maconha e seu uso industrial. Em 2000 lançou um livro chamado “A maconha”, repleto de informações culturais sobre a planta.

Recentemente o deputado do Rio de Janeiro Jean Wyllys apresentou um projeto que propõe mudanças em nossa política de drogas.

Outro projeto apresentado pelo deputado Eurico Júnior, também do Rio de Janeiro,  visa regulamentar o uso, a produção, o cultivo em residências e a comercialização da planta.

Ainda na Cidade Maravilhosa, o vereador Renato Cinco, antigo ativista e membro da Marcha da Maconha, afirma que criminalizar os segmentos populares é uma estratégia política.

eduardojorge

Eduardo Jorge, que foi deputado federal e estadual, além secretário municipal de Saúde e do Meio ambiente da cidade de São Paulo, considera a legalização da maconha um avanço e uma ação que enfraqueceria a economia do crime.

Luciana Genro, ex-deputada federal e estadual pelo Rio Grande do Sul, citou diversas vezes dados do London School of Economics and Political Science, que mostram que o consumo de drogas não diminuiu com a repressão e que a guerra às drogas apenas aumentou a violência e a corrupção.

Antes tarde do que nunca, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é favorável à legalização e diz que a descriminalização da posse da maconha para o consumo pessoal pode ser uma das saídas para reduzir os danos que as drogas causam à sociedade.

E você, conhece mais algum político que apoia a legalização da maconha no Brasil ou no mundo? Escreva nos comentários!

*Por Rodrigo Filho∴, escritor e ativista