CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > SOCIEDADE > Legalização da maconha medicinal não aumentou o consumo entre adolescentes nos EUA

Legalização da maconha medicinal não aumentou o consumo entre adolescentes nos EUA


Há certos tabus proibicionistas sobre maconha que nós não cansamos de derrubar! Eis aqui um dos mais recorrentes: a legalização da maconha definitivamente NÃO causa o aumento do consumo entre adolescentes e jovens.

A afirmação é dos cientistas da Escola de Saúde Pública da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos.

Após analisar os dados de mais de 53 mil participantes da Pesquisa Nacional de Uso de Drogas e Saúde, coletados entre 2003 e 2013, os pesquisadores concluíram que não houve diferença na prevalência de uso de maconha entre os adolescentes (de 12 a 17 anos) e adultos jovens (18 a 25 anos) depois da maconha medicinal ser aprovada em seus estados de origem.

Publicado na revista Drug and Alcohol Dependenceo estudo concentrou-se em dados provenientes de dez estados norte-americanos que legalizaram a maconha medicinal, incluindo Arizona, Connecticut, Delaware, Illinois, Massachusetts, Michigan, New Hampshire, Nova Jersey, Novo México e Rhode Island.

“Antes da aprovação da maconha medicinal havia uma preocupação de que este tipo de legislação pudesse aumentar potencialmente o uso recreativa entre adolescentes e jovens”, declarou a epidemiologista PhD Silvia Martins, uma das responsáveis pelo estudo. “Pelo menos por agora, não notamos um aumento no consumo de cannabis entre os adolescentes.”

Adultos

Os pesquisadores constataram, no entanto, um ligeiro acréscimo nas taxas de uso de maconha entre adultos com mais de 25 anos de idade após a legalização do uso medicinal em seus estados de origem.

Ao todo, o estudo apontou que a prevalência de consumo entre os adultos com mas de 26 anos subiu de 5,87% para 7,15%.

“Entender como a legalização da maconha afeta diferentes grupos etários melhora a nossa compreensão acerca dos efeitos das novas leis, fornecendo informações sobre os tipos de resposta da saúde pública que devem acompanhar as principais mudanças políticas relacionadas com a cannabis”, completou Silvia.

Até o momento, 25 estados e o Distrito de Columbia regulamentaram o uso médico da maconha nos EUA. Nas eleições de novembro, quatro outros estados votarão sobre a legalização da cannabis medicinal.