CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NEGÓCIOS > Vendas de cerveja registram queda nos estados norte-americanos que legalizaram a maconha

Vendas de cerveja registram queda nos estados norte-americanos que legalizaram a maconha


Não é por acaso que a indústria do álcool é inimiga declarada da legalização da maconha nos Estados Unidos.

Segundo dados da Cowen and Company, as vendas de cerveja caíram nos estados norte-americanos que legalizaram a cannabis.

O relatório indica que as transações entre alguns dos principais distribuidores da bebida diminuíram significativamente no Colorado, Oregon e Washington – locais onde é permitida a venda de maconha com fins recreativos.

Na avaliação de Vivien Azer ao site Brewbound, analista de pesquisa da Cowen and Company, o mercado cervejeiro tem apresentado uma “queda de performance coletiva” nesses estados, sobretudo nos últimos dois anos. “A magnitude do baixo desempenho aumentou notavelmente em 2016”, afirma.

O volume de vendas de cerveja caiu mais de 2% no acumulado do ano, o suficiente para incomodar os barões da cerveja industrializada do país.

Até porque, embora as vendas de cerveja artesanal também tenham desacelerado, é nos grandes fabricantes – sempre acostumados a lucros exorbitantes – que se nota o maior impacto econômico.

“Isso talvez não seja surpreendente, uma vez que os dados do governo dos Estados Unidos para os estados de Colorado, Washington e Oregon mostram crescimento consistente na incidência do uso de cannabis entre pessoas de 18 a 25 anos, mesma faixa etária que registra declínio do uso de álcool“, explica Vivien.

Cientes de que muita gente prefere consumir cannabis do que beber cerveja industrializada, as grandes fabricantes do ramo dedicam-se a tentar barrar o avanço da legalização no país.

Um exemplo é a Beer Distributors PAC, um conglomerado que representa 16 empresas de distribuição de cerveja em Massachusetts. Recentemente, a entidade doou US$ 25.000 para fazer campanha a favor da manutenção da proibição à maconha no estado.

Mas não deu certo: no mês passado, a população de Massachusetts votou a favor da legalização.