CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > NEGÓCIOS > Pela primeira vez, NASDAQ listará ações de empresa produtora de maconha

Pela primeira vez, NASDAQ listará ações de empresa produtora de maconha


Nessa terça-feira (27/2), a bolsa de valores norte-americana NASDAQ terá a sua primeira ação de maconha.

O Grupo Cronos Inc., que já negocia no Canadá (onde a planta é legalizada  a nível federal para uso médico desde 2001), se tornará a primeira empresa de maconha elevada ao nível “Nasdaq International Designation Program” para o “Nasdaq Global Market”, obtendo a aprovação para a listagem da Securities and Exchange Commission.

A companhia, com sede em Toronto, produz e vende maconha medicinal no Canadá. Também distribui para os países europeus que permitem a venda da planta com fins medicinais, como a Alemanha, onde possui 12 mil farmácias. Pioneira no mercado da maconha medicinal, destaca-se por ser uma empresa globalmente diversificada e verticalmente integrada com presença em quatro continentes.

No Canadá, opera duas instalações de produção nas províncias de Ontário e Columbia Britânica, plenamente de acordo com os regulamentos de acesso à cannabis para fins médicos da Health Canada, Peace Naturals Project Inc., que foi a primeira licença de cannabis médica concedida nessas províncias.

Expansão global

A Cronos também está construindo instalações em Israel e recebeu licenças através de uma joint venture na Austrália. Eventualmente, a empresa espera ter uma presença nos EUA também, mas não até que a maconha seja legalizada a nível federal.

A empresa já estava negociando na bolsa de Toronto – a TSX Venture Exchange – sob as iniciais “MJN”, e suas ações aumentaram mais de cinco por cento no fechamento de segunda-feira, após a novidade da nova listagem nos EUA. As ações da Cronos aumentaram mais de 200% no ano passado, vendo as ações dispararem na tão esperada legalização da maconha recreativa no país no verão passado.

A Toronto Marijuana Company deve ser listada na Nasdaq sob as iniciais “CRON”. A aprovação da Nasdaq ocorreu depois do grupo Cronos passar seis meses fazendo trabalhos preparatórios, recorrendo sobre um pedido de listagem que tinha sido arquivado. A empresa vinha trabalhando nesse processo junto à Nasdaq para obter aprovação desde o ano passado.

Um mercado que não pode mais ser ignorado…

Trata-se de uma conquista relevante para um setor que vinha sendo rejeitado pelo governo Trump. A crescente aceitação do assunto em uma gama mais ampla da sociedade americana tornou isso possível.

Recentemente, no mês de janeiro, o procurador-geral do país Jeff Sessions, juntamente com o Departamento de Justiça, revogaram as proteções da era Obama que aliviavam a aplicação das leis federais de maconha em estados que legalizaram a droga.

Nos EUA, nove estados e Washington (Distrito Federal) legalizaram o uso recreativo, e 29 estados permitiram o uso medicinal.

A companhia está expandindo rapidamente sua presença global, pois se concentra na construção de um portfólio internacional de marcas icônicas e no desenvolvimento de propriedade intelectual disruptiva. O Grupo Cronos está comprometido com a construção em conjunto com as empresas líderes do setor que transformam a percepção da cannabis e elevam de forma responsável a experiência do consumidor.

A indústria da maconha tem estado em um caminho de legitimação para investidores generalistas, a fim de obter uma margem mais ampla de acionistas potenciais. Um dos maiores desenvolvimentos nesta área foi o acordo de investimento de sucesso do ano passado da Constellation Brands com a Canopy (um dos concorrentes da Cronos) por 9,9% de capital da Canopy no valor de US$ 245 milhões.

A listagem na bolsa dos EUA abre portas para uma expansão de capital significativa. Surgirão oportunidades para o Grupo Cronos se juntar a grandes empresas nesses espaços, como a Constellation Brands, possibilitando capitalizar um enorme potencial de crescimento da indústria nos próximos anos, expandindo assim ainda mais a “febre da maconha”.

Os investidores que operam nos EUA agora poderão colocar fundos no mercado de ações canábico, com a aprovação da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC).

Existia muita insegurança em torno desse tipo de investimento. A listagem na Nasdaq aumentará a confiança daqueles que ainda não acreditam na legalidade desse negócio.

Esperamos que com esses exemplos vindos dos países de primeiro mundo o Mercado Financeiro brasileiro crie coragem para investir mais nesse segmento, que só tem a trazer lucro para o nosso país.

*Por Rodrigo Filho ∴, escritor, ativista e colaborador do Maryjuana

You may also like
Fundos hedge lideram investimentos no setor de maconha
Maconha deve gerar negócios bilionários no Canadá
Co-fundador do Cirque du Soleil, Guy Laliberté investe no mercado canábico
Mercado canábico emprega mais de 120 mil pessoas nos EUA

Leave a Reply