Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > BRASIL > Ministro da Segurança Pública pede que STF julgue descriminalização de consumo de drogas

Ministro da Segurança Pública pede que STF julgue descriminalização de consumo de drogas


Em reunião na manhã desta quinta-feira (8/3) com a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, pediu que a ministra coloque na pauta de julgamento a ação que pode descriminalizar o porte de drogas para consumo próprio.

Hoje, a lei trata de forma diferenciada usuários e traficantes, aplicando penas mais pesadas aos traficantes, mas sem estabelecer um critério objetivo para distinguir entre ambos, como a quantidade de droga encontrada com cada suspeito.

Jungmann afirmou que essa indefinição na lei estimula que mais pessoas sejam presas, sobrecarregando o sistema carcerário.

A expectativa é a de que, ao julgar a ação, o STF torne mais clara a definição de quem seria enquadrado como usuário e quem seria considerado traficante.

“É uma questão extremamente relevante. A Lei de Drogas faz distinção entre traficante e usuário, mas essa distinção precisa de ter uma quantidade que separa um do outro. Como a lei não traz essa quantidade, fica muito difuso, ao arbítrio de cada juiz, de cada corte estabelecer quem é usuário e quem não é usuário”, disse.

“Hoje o Brasil prende muito, mas prende mal. Nós temos muitas vezes as cadeias cheias daqueles que cometeram pequenos delitos enquanto que os grandes barões, traficantes, aqueles que sequestram, matam, infelicitam, a gente não consegue colocá-los dentro das cadeias”, afirmou o ministro.

Segundo o ministro, enquanto nos últimos 16 anos o número de vagas nos presídios cresceu 171%, o deficit no sistema carcerário, ou seja, o número de presos acima da capacidade das cadeias, aumentou 269%.

“Se nós continuarmos jogando esse pessoal todo dentro do sistema penitenciário, estamos entregando exércitos para o crime organizado”, disse Jungmann.

Em 2015 o STF deu início ao julgamento de uma ação que pode levar à descriminalização do porte de drogas para uso pessoal. O julgamento foi suspenso em 2017 por um pedido de vista do ministro Teori Zavaski, morto num acidente aéreo em janeiro do ano passado.

Nomeado para recompor o STF, o ministro Alexandre de Moraes herdou os processos de Teori e, por isso, cabe a ele devolver o processo para julgamento.

Jungmann disse ter conversado com Alexandre de Moraes, que teria lhe dito pretender em breve concluir seu voto e liberar o processo para julgamento pelo plenário do Supremo.

A ação, relatada pelo ministro Gilmar Mendes, já teve três votos favoráveis à descriminalização: o do próprio Mendes e os dos ministros Edson Fachin e Luís Roberto Barroso.

Ao tomar posse no cargo, no final de fevereiro, Jungmann adotou um discurso duro contra os usuários de drogas.

O ministro afirmou que apesar de a população pedir o fim da violência, parte dela financia o crime por meio do consumo de drogas.

“Me impressiona o exemplo do Rio, durante o dia [pessoas] clamarem contra a violência, contra o crime, e, à noite, financiarem esse mesmo crime através do consumo de drogas”, disse Jungmann.

Presídios

Além da ação sobre a Lei de Drogas, Jungmann conversou com a ministra Cármen Lúcia sobre o sistema penitenciário.

Segundo o ministro, o BNDES vai liberar R$ 20 milhões para um estudo sobre a situação atual de todas as penitenciárias do país.

O governo também estuda financiar com recursos do Funpen (Fundo Penitenciário Nacional) a construção de presídios do sistema semiaberto, quando os presos saem durante o dia para trabalhar e voltam para dormir na cadeia.

*Fonte: UOL

You may also like
“Que Droga é Essa?”: curso online pretende ampliar o debate sobre drogas no Brasil
Novo ministro do STF decide adiar processos sobre maconha e aborto para 2019
STJ autoriza importação direta de CBD para tratamento médico
Menina com paralisia cerebral ganha na Justiça direito de receber óleo de maconha no Ceará

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.