Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > ATIVISMO > Legalização das drogas renderia mais de US$ 100 bi ao ano para os EUA

Legalização das drogas renderia mais de US$ 100 bi ao ano para os EUA


Além de matar muita gente em todo o mundo, a guerra às drogas representa prejuízo garantido para os cofres públicos, conforme comprova estudo que nos chega dos Estados Unidos. 

Após analisar os mais recentes dados disponíveis nos Estados Unidos, o The Cato Institute, chegou à conclusão de que a legalização das drogas geraria US $ 106,7 bilhões ao ano para os governos federal, estaduais e municipais.

“Tais ganhos viriam de duas fontes primárias: reduções nos gastos de repressão às drogas e aumentos na receita tributária”, constata Jeffrey Miron, diretor de estudos econômicos do instituto responsável pela pesquisa.

Guerra às drogas = prejuízo para todos

O levantamento calcula ainda que os governos estaduais e municipais gastam, juntos, mais de US$ 29 bilhões ao ano com a proibição das drogas, enquanto o governo federal gasta US$ 18 bilhões adicionais.

Por outro lado, a legalização total das drogas renderia US$ 19 bilhões ao ano em impostos estaduais e municipais e US $ 39 bilhões em impostos federais.

“A legalização pode reduzir os gastos do governo, o que economiza recursos para outros usos e gera receita fiscal, transferindo parte do dinheiro investido por produtores e consumidores de drogas para os cofres públicos”, afirma Miron.

Clique aqui para ler o estudo na íntegra (em inglês).

You may also like
Empresa de carros blindados entra no mercado da maconha
Michigan se torna 10° Estado dos EUA a aprovar uso recreativo de maconha
“Fuck the president”: Snoop Dogg legaliza em frente à Casa Branca
Gas Cannabis Co: Rapper 2 Chainz lança marca de maconha

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.