Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > NEGÓCIOS > Marca de cerveja investe US$ 3,8 bi em cannabis

Marca de cerveja investe US$ 3,8 bi em cannabis


Espalhe a boa !
A Constellation Brands, proprietária da marca de cerveja Corona, aposta na cannabis e injetará milhares de milhões de dólares em uma empresa canadense para aproveitar a tendência mundial para a legalização dessa droga.

O grupo americano de vinhos, cervejas e outras bebidas alcoólicas aportará 4 bilhões suplementares na Canopy Growth, uma empresa criada em 2013 e elevará para 38% sua participação nessa empresa montada ao sul de Ottawa em 2013.

Fabricante das cervejas Corona e Modelo, do vinho Roberto Mondavi e da vodca Svedka, a Constellation já havia comprado em outubro do ano passado 9,9% do capital da companhia canadense. Poderá se tornar sócio majoritário se nos próximos três anos exercer o direito de adquirir instrumentos financeiros negociados com Canopy.

“Desde o ano passado, entendemos um pouco melhor o mercado da cannabis e a oportunidade de crescimento que tem”, disse Rob Sands, CEO da Constellation.

O mercado pareceu dar as boas-vindas ao negócio e a ação da Canopy teve altas expressivas.

Os investidores avaliam que essa diversificação da Constellation ocorre no momento em que um estudo da Universidade da Georgia, nos EUA, mostrou que o consumo de álcool caiu 20% nos estados em que a maconha foi legalizado.

O governo do Canadá estima, por exemplo, que 4,6 milhões de habitantes desse país consumirão 665 toneladas anuais de cannabis e gastarão entre 2,75 milhões e 4 milhões de euros.

Os gastos mundiais com cannabis devem triplicar nos próximos anos para chegar a 32 bilhões de dólares em 2022, segundo consultorias econômicas especializadas.

Heineken da cannabis

A Constellation, assim como outras cervejarias, aposta que a maconha será legalizada nos próximos anos em todo o território dos Estados Unidos e no mundo quase todo.

“Esse investimento, o maior até hoje no setor da cannabis, aportará à Canopy Growth os recursos necessários para criar e adquirir os ativos estratégicos necessários para ter uma importante presença em aproximadamente 30 países que autorizam o uso terapêutico da cannabis e se posicionar nos mercados que habilitem o uso recreativo”, afirmou o grupo americano.

As leis federais dos Estados Unidos proíbem até o momento a venda e o uso da maconha.

Seu consumo recreativo foi, contudo, autorizado em oito estados e em Washington DC. Em 1 de janeiro deste ano, a Califórnia se tornou o maior mercado legal do mundo.

Nos EUA, 29 dos 50 estados permitem o uso da cannabis em tratamentos médicos.

No dia 17 de outubro, o Canadá se tornará o primeiro dos países do G7, que agrupa as maiores economias mundiais, a legalizar o consumo recreativo. O mercado de produtos elaborados à base de cannabis, será permitido a partir de 2019.

As cervejarias querem fabricar bebidas sem álcool a partir dessa droga suave e é isso que explica a multiplicação de seus investimentos em produtores de maconha para uso terapêutico.

A Molson Coors, fabricante das cervejas Blue Moon e Coors e concorrente da Constellation, assinou recentemente uma associação com o grupo canadense The Hydropothecary Corporation (Hexo) que quer triplicar antes do final do ano suas fábricas.A

A Lagunitas, uma filial da Heineken, oferece desde o final de julho a “Hi-Fi Hops”, uma cerveja sem álcool e com infusão de cannabis.

O grande interesse por produtores habilitados de cannabis estimulou as ações dessas companhias nos últimos meses.

Canopy Growth quadruplicou sua capitalização desde que entrou na Bolsa. O grupo se uniu à Danish Cannabis para produzir em Odense, no centro de Dinamarca, e comercializar cannabis medicinal na Europa.

A valorização de sua concorrente canadense Aurora, que conta com filiais na Alemanha, nos Países Baixos e na Austrália se multiplicou por seis em um ano.

*Fonte: AFP, via Exame

You may also like
Fabricante do Marlboro entra no mercado da maconha
Com mercado aquecido, empresas de maconha do Canadá importam trabalhadores
Empresa de carros blindados entra no mercado da maconha
Michigan se torna 10° Estado dos EUA a aprovar uso recreativo de maconha

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.