Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > CANAL DA MARY > O que é charas?

O que é charas?


A palavra charas refere-se a uma das mais antigas formas de extrair haxixe da cannabis, cujas raízes remontam ao norte da Índia. Mas o que é exatamente o charas e como ele é produzido? Confira a seguir!

O universo dos concentrados de cannabis está em pleno boom, com a ascensão de métodos de extração mais elaborados e modernos, a exemplo do ice-o-lator, rosin e BHO, só para citar alguns dos mais famosos.

Mas, em se tratando de hash, não há progresso capaz de desbancar a tradição milenar do charas. Conhecido pela potência e sabor únicos, esse tipo de extração artesanal sobrevive ao longo do tempo para honra e glória dos amantes das boas resinas.

O que é charas

Como já foi mencionado acima, o charas consiste em um tipo de extração de maconha feito de forma artesanal e totalmente manual, utilizando somente as mãos para friccionar as flores resinadas.

É considerado uma das formas mais antigas e puras de concentrado canábico, sendo até hoje referenciado como o “ouro negro” dos Himalaias, utilizado há milhares de anos com fins medicinais e ritualísticos.

Como a maioria das extrações canábicas, o charas é feito a partir da separação dos tricomas da matéria vegetal da planta, resultando em uma resina de consistência pegajosa e efeitos psicoativos potentes.

Origem do charas

As origens do charas remontam à Ásia, mais especificamente à Índia, Nepal e Paquistão.

Originalmente, a maconha utilizada para produzir o charas é cultivada ao norte da Índia, mais precisamente nas regiões do vale de Parvati, Malana e Kashmir. Nestes locais, a cannabis brota até mesmo de maneira selvagem nas encostas do Himalaia.

Na Índia, o uso de cannabis remonta aos textos sagrados dos Vedas, desempenhando um papel fundamental em diversos rituais e festividades no país. Diversas lendas relatam que o próprio deus Shiva consumia charas durante suas meditações nas montanhas.

Vendido geralmente em formato de pequenas bolas ou bastões, o charas é tradicionalmente fumado por meio de um chillum – uma espécie de cachimbo rústico utilizado pelo monges hindus, os sadhus.

Os adeptos do Shaiva Siddantha (seita hindu que cultua Shiva como o deus supremo) costumam descrever seu Senhor fumando um chillum e, por este motivo, também incorporam a prática de fumar charas em seus rituais, fazendo muita fumaça em meio a orações e cantos de veneração.

Segundo a simbologia hindu, o charas representa a mente, enquanto o chillum simboliza o corpo de Shiva e, a fumaça, representa a influência sagrada dos deuses.

Charas X Haxixe: qual a diferença?

O charas é uma forma de haxixe extraído a partir da resina da maconha, sendo originalmente produzido com variedades de predominância Indica (embora também possam existir, obviamente, versões feitas com plantas de predominância Sativa).

Ao contrário do haxixe comum, que é feito a partir da planta que já foi colhida, o charas é extraído a partir das flores ainda vivas, colhidas duas a três semanas antes de completarem o período de floração.

Menores e mais delicados, estes botões possuem um nível elevado de THC, produzindo um concentrado de alta qualidade e com sabor incrivelmente único, variando conforme a strain utilizada no processo.

Como é feito o charas

Extrair charas é um processo artesanal e lento, que pode levar até 8 horas para render menos de 10 gramas.

O processo inicia logo após a colheita, com a retirada de algumas folhas maiores. O próximo passo consiste em esfregar as flores entre as palmas das mãos lentamente e de forma repetitiva, para que os tricomas sejam liberados.

Aos poucos, as mãos estarão recobertas por uma massa escura e pegajosa – o charas – que pode ser agregada em forma de bolas ou bastões.

Esse procedimento deve ser repetido com múltiplas flores para que se obtenha o máximo de rendimento.

Malana Cream e Kerala Gold: conheça os dois tipos de charas mais valiosos do mundo

Considerados os charas de mais alta qualidade do mundo, o Malana Cream e o Kerala Gold consistem em duas especiarias canábicas cada vez mais raras – e caras – no mercado.

Originário da vila de Malana, localizada no Vale de Parvati, na Índia, o Malana Cream é famoso pela pureza e alto teor de THC, que pode variar entre 30 a 45%. A qualidade do Malana Cream deve-se às landraces cultivadas na região, resultando em plantas cheias de resina e terpenos.

Já o Kerala Gold é produzido com uma cepa de maconha nativa de Idukki, no estado de Kerala, ao sul da Índia. Com forte aroma terroso – que remete ao skunk – essa variedade de charas está praticamente em extinção à repressão policial na área.

É possível fazer charas em casa?

Embora o verdadeiro & original charas seja aquele proveniente das regiões ao norte da Índia, extraído de plantas de predominância Indica, o fato é que – sim! – é possível fazer esse tipo de hash em casa, desde que se tenha às mãos algumas flores recém-colhidas.

Para fazer o charas em casa, lembre-se que é preciso ter paciência. Comece lavando bem as mãos com um sabonete neutro e sem odores. Depois, esfregue os buds entre as mãos e vá juntando a resina em pequenas bolas, conforme descrito acima e explicitado no vídeo abaixo:

Como consumir o charas

Se você quiser seguir a tradição, a dica é adquirir um chillum para fumar o charas puro assim como fazem os monges hindus. 

Bongs e cachimbos são outras boas opções para consumi-lo de forma mais contemporânea e muito eficiente (lembrando que também é possível improvisar com essa incrível técnica do copo).

Mas também é possível degustar a preciosa iguaria misturada à maconha ou ao tabaco, simplesmente enrolando-os num baseado.

E você, já teve a sorte de provar um legítimo charas? Deixa aquele salve contando sua experiência nos comentários!

Que tal turbinar a sua mente?

O conteúdo deste site foi criado por mentes turbinadas com café (Mary4:20)! 

SAIBA MAIS

 

You may also like
Vídeo aborda redução de danos para usuários de haxixe
Hashishene: o novo terpeno descoberto na maconha
Site abre cadastro para pacientes de cannabis medicinal
Sete (intermináveis) dias sem maconha

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.