Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > EVENTOS > NACIONAIS > Florianópolis sedia a maior copa canábica do Brasil

Florianópolis sedia a maior copa canábica do Brasil


Espalhe a boa !
Mofs, Verdegulho, Exaustor e Anarquista; Ninja de Jah, Diambeiro, Selva Encantada e Pernola; Aquaponic, Angel Pot e Mamedão.

No país do futebol, a relação de apelidos engraçadinhos poderia muito bem se referir à escalação de algum time qualquer. Mas é muito mais do que isso! Os nomes (nicks) relacionados encabeçaram uma seleta lista de cultivadores convidados a participar da I Copa Growroom, evento inédito que aconteceu no dia 3 de novembro em Florianópolis. Muito mais histórica do que qualquer Copa do Mundo que possa ocorrer no Brasil, a celebração reuniu 136 pessoas – entre growers e ativistas – sinalizando a “nova era” de legalização & paz que está por vir.

Growroom faz história ao promover a primeira copa canábica do Brasil

Growroom faz história ao promover a maior copa canábica do Brasil

Por razões óbvias de segurança, apenas competidores e seus respectivos convidados puderam participar da festa. Reunidos num casarão em meio à exuberante natureza do sul da Ilha da Magia, os participantes acompanharam a competição que avaliou 41 amostras, incluindo flores produzidas em solo nacional e hermano. Ao todo, participaram 37 cultivadores do Brasil e Argentina.

Em busca da batida perfeita…

Se não fosse a fumaça e o perfume no ar, um observador mais desatento poderia pensar que estava em meio a um inocente bingo ou campeonato de RPG – sim, pois era isso o que sugeria a visão de diversos malucos concentradíssimos em volta das mesas, tomando notas em pedaços de papel.

Reunidos em grupos de cinco, os competidores avaliaram, às cegas, as amostras numeradas. Depois, atribuíram notas segundo critérios de aparência, odor, sabor e batida. Se bateu? Não preciso nem dizer…mas já na primeira rodada a qualidade dos buds mostrou que a galera não estava para brincadeira. Conforme a competição se aproximava do fim, aumentava também a potência das flores e a chapação geral dos convivas.

Quem levou o primeiro lugar foi a saborosa Cinderella99 cultivada por um simpático rapaz de apelido “Não Compre, Plante”. Em segundo lugar ficou a Special Queen #1, proveniente dos jardins do Buchecha. Já o Conscioussness Grower levou o terceiro lugar com o Super Lemon Haze. O quarto lugar ficou com o Super Skunk by CPCPS.

A iniciativa de realizar a maior copa canábica do Brasil partiu do Growroom e contou com o apoio desta que vos fala, além de outros militantes da causa. “O medo e a dificuldade de reunir amigos cultivadores de todo o Brasil num evento como esse foi o maior desafio a ser superado. Já havíamos feito, em anos anteriores, alguns encontros reunindo diversos growers, mas nunca tínhamos organizado um evento deste porte”, comemora Bas, fundador do Growroom e organizador da copa.

Durante o evento, ocorreu também o lançamento da segunda edição da revista semSemente, além de apresentações musicais de Mc Eltin, Cidade Verde Sound System e a participação mais do que especial de BNegão, que estava na cidade para o show do Planet Hemp e, não só deu uma palhinha, como anunciou os campeões da noite e, claro, aproveitou pra fazer a cabeça com um baseado gigante. Quem vacilou foi o Marcelo D2, que também tava na área e perdeu a chance de se juntar à galera.

Enquanto isso, em Amsterdã…

Quem acompanha o blog sabe que eu estive em Amsterdã para participar da 25ª edição da High Times Cannabis Cup, que ocorreu entre os dias 18 e 22 de novembro. Sim, trata-se de um evento bacana também – mas que não chegou aos pés do que foi a I Copa Growroom. Para começo de conversa, quem deseja participar da copa holandesa deve desembolsar algo em torno de US$ 280 para adquirir o passe de juiz e ter direito a voto. Não, o bagulho NÃO está incluso. Quem quiser tem que seguir o roteiro, que inclui cerca de 25 coffeeshops, pagando para provar cada strain e/ou hash, vendidos a um preço médio de 15 euros a grama. No mais, o evento se resume a uma feira comercial e algumas palestras.

Como se não bastasse, o atendimento nos coffeeshops varia de meia-boca a péssimo. Na maioria deles, você geralmente é atendido por pessoas grosseiras que não só exigem que você compre o bagulho o mais rápido possível, mas que também consuma os drinques vendidos (que variam de água a café-aguado, passando por cappuccino e suquinhos industrializados). Nem pense em ficar muito tempo viajando nas mesinhas e curtindo um som, pois em minutos será fuzllado por olhares mal-encarados do staff, que não se acanha em mandar embora quem não estiver consumindo o suficiente para justificar sua presença no local. Ah, fala sério…

Não por acaso, o Green House costuma faturar quase todas as copas por lá. Além de possuir um ambiente bacana e cardápio variado, incluindo algumas opções de laricas e sanduíches, o atendimento também é um dos melhores, com pessoas que sorriem pra você e não te mandam embora na primeira oportunidade possível.

Como resumiu o amigo identificado como Akaseeds, que participou da copa holandesa, “vi coisa brasileira muuuuuuuito melhor que lá fora. Ainda sim se acham umas preciosidades por lá, mas vi também muita pipoca, bagulho quase todo verde, com gosto de clorofila, que nem grudava na mão. O começo daqui me parece mais promissor que os 25 anos de lá.”

Confira abaixo os vídeos da I Copa Growroom e saiba mais sobre a 25ª High Times Cannabis Cup aqui.

You may also like
Justiça obriga Estado a pagar óleo de maconha a paciente com epilepsia severa em SC
Conheça as variedades de maconha campeãs da Copa UCLA 2016
Maryjuana na Copa UCLA 2016
Assista a cobertura da 5ª Copa Cannabis Uruguay 2016

19 Responses

    1. ??? Desculpa, Mandacaru, mas não tem nenhuma mentira por aqui, mas apenas uma observação sincera sobre os eventos…quem foi pra Amsterdã e foi pra I Copa Growroom sabe do que eu tô falando. No mais, a discussão pra saber quem veio primeiro já foi encerrada 15 minutos depois que o post foi ao ar e começaram as reclamações (até então, eu desconhecia o fato de já ter havido outras copas por aí, mas já corrigi na sequência). 🙂 Bjo!

      1. Ahham, Claudia, Senta lá!

        Mas vão dizer que a copa comprada do PiR foi a primeira… não fode… porque não foi!

  1. Liko

    que maneiro que ta rolando isso ai no brasil.eu tenho articipado das copas de Barcelona e da Holanda como CANABICULTUR;agoro vejo que ja ta na hora de voltar a terrinha e ajudar a desenvolver mais o senario canabico no brasil,parabens galera

  2. Que babquice é essa galera!??? Que importância tem essa discussão de qual foi a primeira?

    Essa foi a primeira Copa Growroom Oficial. Antes dela teve a Copa do PIR e uma Copa do Growroom, que foi organizada espontanemanente no 10º aniversário do GR.

    E daí?

    Deviamos é estar agradecidos de estarem acontecendo essas Copas por aqui no Brasil agora. Participar e apoiar todo tipo de eventos como esse quando possível!

    E que venham mais Copas por essas bandas!
    De Norte a Sul. de Leste a Oeste!

    Pow! Pow! Pow!

    1. Jemt, sem estresse! Por critérios jornalísticos, já eliminei o termo “primeira”, substituindo por “maior” – pois, pelo que eu apurei, foi a maior em número de competidores, amostras e participantes! 🙂 Love u all and legalize ganJAH! Que venham MUITAAAAAS copas!!! 🙂

  3. anonimo

    Oficiais: no RJ em 2010 e 2011 e SP e SC em 2012

    VEJA BEM, COPA GROWROOM, NAO ESTOU CONTANDO OUTROS EVENTOS COMO O TAL DO pir pir pir

  4. eumesmoeirene

    olá pessoal com certeza essa ultima copa foi a mais bem organizada ja realizada, mas o PIR ao contrario do anonimo, potinrio nao foi resultado programado, o que aconteceu foi uma confusao dos jurados que nao votaram só isso.. a premiacao foi pra quem ganhou a maioria dos votos.. O proximo PIR promete agora em 03 fevereiro reeorganizar e reafirmar a importancia desta competicao.. quem viver verá..

  5. Anonimo

    Jorge, se for pensar assim rolaram 3 antes dessa 2 organizadas pela galera do GR (uma no rio e outra em sampa) e o PIR… Mas tem quem diga que o pir não foi copa, foi distribuição detítulos, com resultado acertado muito antes do evento…

  6. Buker

    Grande evento, como o próprio Bnegão lembrouao dedicar a música contexto Reunião internacional de primeira grandeza
    Só a nata da cena canábica nacional.

Leave a Reply