Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > VAPER > CULT > 7 dicas para vaporizar flores

7 dicas para vaporizar flores


Espalhe a boa !
  • 329
    Shares
Veja algumas dicas para garantir a melhor experiência possível ao vaporizar flores!

Cada vez mais modernos e acessíveis, os vaporizadores estão revolucionando a forma como consumimos maconha, seja com fins medicinais e/ou recreativos.

Além de reduzirem danos à saúde, os vapes realçam os terpenos, permitindo desfrutar ao máximo dos diferentes aromas e sabores das plantas.

Embora vaporizar seja algo muito fácil e intuitivo, é sempre bom estar atento a alguns detalhes que podem fazer toda diferença no resultado da experiência.

A seguir, confira 7 dicas para vaporizar flores:

1- Prefira erva fresca e de qualidade

Ao vaporizar flores, dê preferência às ervas frescas – mas calma lá, não estamos falando aqui para você utilizar brotos verdes, mas sim para que utilize buds bem curados e de qualidade. Evite ao máximo vaporizar maconha de má qualidade e de procedência duvidosa.

Ervas extremamente secas não devem ser utilizadas, pois o processo de vaporização depende da umidade, promovendo o aquecimento da substância até o ponto em que os seus compostos atingem o ponto de ebulição e formam vapor, que pode ser inalado de maneira semelhante à fumaça.

As melhores flores para vaporizar são aquelas que não estão muito úmidas nem muito secas. Uma boa maneira de testar o teor de umidade é tocando a erva, que não deve estar úmida ao toque, mas também não pode estar tão seca a ponto de esfarelar em um pó fino entre os dedos.

Lembre-se: por melhor que seja o seu vaporizador de ervas, ele não faz milagres! Sendo assim, a vaporização será tão boa quanto for a erva que está sendo vaporizada.

2- Triture as flores adequadamente

Dichavar a erva adequadamente é fundamental para o sucesso da vaporização. Caso seu vape tenha sistema de aquecimento por condução, será preciso moer as flores da forma mais fina possível – e, na hora de preencher a câmara, compactá-las para que o calor emitido pelo forno possa ser espalhado, vaporizando tudo por igual, sem nenhum desperdício.

Por outra lado, os vaporizadores aquecidos por convecção funcionam da maneira inversa: como o ar quente é lançado no interior da câmara, passando entre as flores e extraindo seus princípios ativos, o ideal é que elas não estejam tão finas e nem compactas, permitindo que o ar flua facilmente, gerando mais sabor e vapor.

Já os vapes com aquecimento híbrido não têm muitas exigências, funcionando de maneira semelhante tanto com ervas mais finas como com as mais grossas.

3- Não preencha a câmara demais

Da mesma forma que acontece com bongs e cachimbos, a maneira como você preenche a câmara do vape influenciará no sucesso da experiência.

A regra é clara: seja lá qual for o seu vape, menos é sempre mais. Preencha a câmara moderadamente, sem “apertar” demais a maconha, o que pode dificultar o fluxo de ar e impedir a vaporização adequada de todos os preciosos tricomas.

4- Ajuste a temperatura

Ajustar a temperatura é um dos aspectos mais importantes da vaporização de ervas e concentrados. No entanto, encontrar a temperatura certa nem sempre é tão simples quanto parece.

Em geral, recomenda-se que a vaporização ocorra em alguma temperatura entre 180º C a 210° C (356º F a 410°F). Mas cabe a você experimentar até encontrar a configuração que mais se ajusta ao seu gosto e tipo de erva vaporizada.

Vale ressaltar que diferentes canabinoides e terpenos vaporizam a diferentes temperaturas. Além disso, variações no teor de umidade ou na textura da trituração também podem afetar a vaporização das flores.

Além disso, muitos vapers afirmam que diferentes temperaturas produzem efeitos diferentes para a mesma strain. Enquanto  temperaturas mais baixas tendem a deixar os usuários mais lúcidos e funcionais, as temperaturas mais altas supostamente tendem a produzir euforia e relaxamento.

Abaixo indicamos alguns dos diferentes pontos de ebulição dos compostos da maconha, com o objetivo de auxiliá-lo a descobrir a melhor temperatura para você:

– THC: 157 ° C / 315 ° F

– CBD: 180 ° C / 356 ° F

– CBG: 57 ° C / 126 ° F

Pineno: 155 ° C / 311 ° F

– Cariofileno: 160 ° C / 320 ° F

Mirceno: 168 ° C / 334 ° F

5- Inale lenta, suave e profundamente

Esqueça as tragadas curtas e abruptas. Ao vaporizar flores, concentre-se em inalar de maneira lenta, suave e profunda, permitindo que seus pulmões sejam lentamente preenchidos com todo o suave e saboroso vapor.

6- Evite a combustão

Evitar a combustão é o objetivo principal da vaporização, então fique atento para não optar por temperaturas muito elevadas e superaquecer o seu vape, o que fatalmente poderia resultar na queima indesejada das flores.

Também é preciso saber a hora de parar de vaporizar. Ao sentir o menor gosto amargo ou torrado, esvazie a câmara e reponha com outra dose de maconha fresquinha antes de seguir a sessão.

7- Mantenha seu vape sempre limpo

Assim como qualquer outra máquina, os vapes devem estar bem conservados para funcionarem apropriadamente. Portanto, manter o vaporizador sempre limpo é fundamental para garantir a melhor experiência possível.

Ao adquirir um novo vape, certifique-se de ler as instruções de uso e manutenção no guia fornecido pelo fabricante. Se necessário, substitua as peças e demais componentes regularmente.

Que tal dar um upgrade no seu #momento420?

Conheça os melhores vaporizadores de ervas do mercado! 

VAPORIZE JÁ

 

You may also like
Vape com tecnologia biométrica permite monitorar consumo de canabinoides
Vaporizadores já são mais comuns do que cigarros entre militares dos EUA
15 celebridades que vaporizam
Em busca de um vape bom e barato? Conheça o novo Boundless CFC 2.0!

Leave a Reply