Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > CULTURA > HISTÓRIA > Mulher usou maconha para tratar câncer há 2.500 anos

Mulher usou maconha para tratar câncer há 2.500 anos


Espalhe a boa !
  • 3
    Shares

Não é de hoje que a maconha é utilizada no tratamento do câncer. Recente descoberta arqueológica comprovou que as propriedades terapêuticas da erva já eram conhecidas há muito tempo por civilizações pré-cristãs. Segundo pesquisa lançada na Rússia, a princesa Ukok – uma jovem mulher cujo corpo foi conservado no gelo por mais de 2.500 anos após sua morte – teria utilizado cannabis para tratar um tumor no seio.

standard ukok

A múmia em bom estado de conservação foi encontrada pelos investigadores nas estepes geladas do planalto de Ukok. No local também foram encontrados diversos pertences e até mesmo animais que foram enterrados com a donzela, incluindo três cavalos, uma bolsa com cosméticos, jóias, um espelho com moldura chinesa e um recipiente cheio de maconha.

Os pesquisadores estipulam que a mulher tinha entre 25 e 28 anos de idade quando morreu. Embora não se saiba ao certo ainda se foi o câncer de mama que a matou, eles acreditam que a maconha tenha sido utilizada como remédio. “Talvez o uso de maconha tenha sido uma necessidade forçada devido ao avanço do câncer”, comentou a professora de arqueologia Natalia Polosmak

Uma hipótese é a de que, por causa da roupa de alta qualidade com que foi enterrada – além de todas as características da tumba – a princesa de Ukok tenha sido uma espécie de xamã, cujos transes podem – ou não – ter sido influenciados pela cannabis. Segundo os pesquisadores, o povo da época percebia seu estado alterado de consciência. “Com isso atribuíram-lhe a capacidade de se comunicar com os espíritos ancestrais”, explica Natalia.

A princesa de Ukok também ficou famosa pelas diversas tatuagens que foram detectadas incrivelmente conservadas em seus restos mortais.

Tatuagem no ombro da múmia da princesa Ukok.

Este não é o primeiro registro o uso de cannabis por civilizações pré-históricas. Clique aqui para conferir outras múmias que já deram pala por aí.

*Fonte: The Siberian Times

** Tradução: Maryjuana

You may also like
Chipre legaliza uso terapêutico da maconha
Argentina aposta na produção estatal de maconha para uso terapêutico
Pesquisa de Harvard afirma que usuários de cannabis possuem mais espermatozoides
CBD auxilia no tratamento de problemas causados pelo uso de álcool

Leave a Reply