CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > SAÚDE > FDA aposta em injeção de maconha para recém-nascidos

FDA aposta em injeção de maconha para recém-nascidos

/

Enquanto o Brasil dificulta a vida dos pacientes que precisam de maconha com o exce$$o de burocracia para importação, os Estados Unidos caminham a passos largos no apoio ao desenvolvimento de novos produtos canábicos.

Na semana passada, o Food and Drug Administration (FDA) concedeu o chamado “fast track” para impulsionar o desenvolvimento de uma injeção a base de canabidiol (CBD) destinada a tratar recém-nascidos com asfixia na hora do parto – condição esta que pode acarretar sérios danos cerebrais e até mesmo a morte.

Quem produz o remédio é a GW Pharmaceuticals, empresa britânica especializada na fabricação de medicamentos à base de maconha, como o Sativex.

Com o aval do FDA, a companhia farmacêutica terá prioridade na aprovação e nos testes com a substância nos Estados Unidos.

O remédio intravenoso produzido pela GW Pharma também já foi aprovado pela Agência Europeia de Medicamentos.

As injeções de CBD são indicadas para o tratamento da encefalopatia hipóxico-isquêmica perinatal (EHIP), uma das enfermidades mais comuns – e letais – em recém-nascidos.

Vale lembrar que atualmente não existem medicamentos específicos para a doença aprovados na Europa ou nos Estados Unidos.

“Acreditamos que os canabinoides desempenham um papel muito importante no tratamento de urgência de certas condições neurológicas pediátricas”, disse Justin Gover, diretor executivo da empresa.

“Pensando nisso, desenvolvemos uma formulação intravenosa de CBD específica para utilização por esta que é o mais vulnerável grupo de pacientes, os recém-nascidos com asfixia perinatal”, completou o executivo.

You may also like
Pedidos de importação de canabidiol aumentaram 86% de 2019 para 2020
CBD pode auxiliar ou prejudicar pacientes com covid-19; entenda
Martha Stewart lança produtos de maconha para cães
Uso tópico de CBD reduz dor crônica nas costas

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.