Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > ATIVISMO > ONU retira proposta de descriminalização das drogas por ‘pressão política’

ONU retira proposta de descriminalização das drogas por ‘pressão política’


Espalhe a boa !
  • 4
    Shares

Uma agência da ONU recuou com relação ao conteúdo de um documento que sugere a seus países-membros que descriminalizem a posse e o uso de drogas. O documento elaborado pelo escritório para drogas e crimes da organização (UNODC, na sigla em inglês) vazou antes de ser publicado e foi alvo de pressão de política de ao menos um país.

Assinado por Monica Beg, chefe da seção de HIV/Aids do UNODC, para uma conferência internacional sobre redução de danos a ser realizada no próximo mês em Kuala Lumpur, o texto diz que “deter e prender (usuários de drogas) são medidas excessivas”.

A posse de drogas é considerada um crime em diversos países-membros da ONU. No Brasil, o Supremo Tribunal Federal está em processo de julgar se a posse e uso pessoal de drogas é crime, com base em uma ação envolvendo um mecânico de 55 anos condenado por porte de 3 gramas de maconha.

Os ministros do STF analisam a constitucionalidade do artigo 28 da lei 11.343, de 2006, que diz ser crime adquirir, guardar ou portar drogas para consumo próprio. A Defensoria do Estado de São Paulo defende que isso viola o princípio da intimidade e da vida privada.

Fontes do UNODC, que supervisiona convenções internacionais sobre drogas, disseram à BBC que o documento nunca foi aprovado como política pela ONU. Um funcionário sênior da agência afirmou que Beg, uma “funcionária de médio escalão”, redigiu a proposta como um ponto de vista profissional.

151019181339_drugs

O UNODC disse que houve um “mal-entendido” quanto à natureza e a intenção do documento, que “segue sob revisão”. Em comunicado, o porta-voz da instituição, David Dadge, disse que o texto tinha como objetivo levantar um debate sobre o tema durante a conferência na Malásia. Dadge negou que a entidade tenha sofrido pressão para revogar o documento e disse que este não era formal nem representava a política defendida pela entidade.

No entanto, o documento vazado afirma ser um “esclarecimento da posição do UNODC na qual países podem basear a promoção de direitos humanos e de saúde em suas abordagens da política de drogas”.

“Tratar o uso não-medicinal e a posse para consumo pessoal como crimes tem contribuído para problemas de saúde pública e levado a consequências negativas para a segurança e os direitos humanos”, afirma o texto.

Mudança

O UNODC tem sido pressionado há algum tempo para tornar mais clara sua posição quanto à questão. Outras agências da ONU, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Programa das Nações Unidas para HIV e Aids (Unaids), já se manifestaram contra a aplicação de sanções criminais a usuários de drogas.

Defensores da descriminalização acreditam que o UNODC é um elemento-chave para que países mudem suas políticas governamentais antes da reunião da Assembleia Geral da ONU sobre drogas, prevista para abril.

O grupo lobista Transform disse hoje que o relatório é “uma crítica devastadora aos prejuízos causados pela criminalização”.

“A agência da ONU responsável pela guerra às drogas diz que a criminalização do uso é desnecessária, desproporcional e gera danos à saúde, violência e mortes, além de violar obrigações assumidas em prol da saúde e dos direitos humanos”, disse Danny Kushlick, do Transform.

O empresário britânico Richard Branson, que integra a Comissão Global de Política de Drogas, publicou um texto em seu blog sugerindo que todos os governos adotem as políticas apontadas pelo documento da ONU.

*Fonte: BBC Brasil

**Foto: Joe Raedle/Getty Images

You may also like
Após reunião com Bolsonaro, Toffoli deve retirar descriminalização da maconha da pauta do STF
Senado aprova retrocessos na política nacional de drogas
Projeto de Osmar Terra sobre drogas avança no Senado e pode ser votado amanhã
Temendo retrocessos nas políticas de drogas, entidades manifestam-se contra PLC 37/2013

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.