CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > MUNDO > Remédios à base de maconha começam a ser vendidos em farmácias do Chile

Remédios à base de maconha começam a ser vendidos em farmácias do Chile

Dois fármacos elaborados à base de cannabis e recomendados para tratar dores crônicas começaram a ser vendidos nesta quarta-feira pela primeira vez em farmácias chilenas, informou a companhia importadora deste produto.

Depois de receber a autorização do Instituto de Saúde Pública (IPS), o laboratório canadense Tilray começou a vender em farmácias seus medicamentos T100 e TC100, apresentados como uma alternativa para algumas patologias cujos tratamentos convencionais não foram efetivos, segundo um comunicado da importadora Alef Biotechnology.

Com estes produtos “se gera a oportunidade de dar acesso no país aos que precisam clinicamente de novas alternativas de qualidade ante doenças como a dor crônica”, disse Roberto Roizman, presidente desta companhia.

Inicialmente, a venda será realizada em duas farmácias de Santiago, além de em clínicas e hospitais, sob retenção de receita médica, por um valor estimado de 210.000 pesos (cerca de 310 dólares).

Em outubro passado, o ISP permitiu a venda regular de um medicamento elaborado com maconha, o Sativex, utilizado para tratar a esclerose múltipla e controlar os espasmos musculares associados à doença.

O ISP disse que o medicamento, que custa aproximadamente 1.500 dólares, cumpre todos os requisitos de qualidade regulamentares, e que demonstrou sua segurança e eficácia na indicação solicitada, embora ainda não seja comercializado em farmácias.

No Chile o consumo privado de maconha é permitido, mas sua venda é punível. A normativa vigente, no entanto, deixa uma livre interpretação sobre a possibilidade de realizar autocultivos, o que levou alguns juízes a validarem esta prática em certos casos.

A Fundação Daya dirige uma grande plantação de cannabis para uso medicinal em Quinamávida, 350 km ao sul de Santiago, com mais de 6.400 plantas de 16 variedades para fornecimento a doentes sob controle médico.

Enquanto isso, o Congresso chileno debate um projeto de lei para regular o uso e o autocultivo da maconha.

*Fonte: AFP

You may also like
Associação de Niterói obtém liminar para plantar maconha para uso terapêutico
Mercado de CBD vê ameaça após decisão do STJ sobre rol da ANS
Estudo brasileiro demonstra eficácia da cannabis contra superbactérias
Maconha pode ser alternativa para tratar artrite e dor nas costas

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.