CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > CULTURA > HISTÓRIA > Maconha no Brasil: a erva nos tempos da colônia

Maconha no Brasil: a erva nos tempos da colônia


Além das aplicações navais e industriais, pouco se sabe sobre o cultivo e consumo de maconha nos primórdios do Brasil Colônia. O que existe é um consenso entre os historiadores relacionando o uso psicoativo da erva aos escravos, que trouxeram da África o hábito de fumar a “diamba” – depois apelidada de “pito do pango” pelos portugueses.

Uma das referências mais célebres ao uso de maconha na senzala pode ser encontrada na obra “Sobrados e Mucambos”, de Gilberto Freyre. Lançado em 1936, o livro relata a decadência do patriarcado rural no Brasil. Ao analisar a formação do povo brasileiro, o autor destaca a importância da influência de hábitos e costumes genuinamente africanos:

“Mas as tradições religiosas, como outras formas de cultura, ou de culturas negras, para cá transportadas, junto com a sombra das próprias árvores sagradas, com o cheiro das próprias plantas místicas – a maconha ou diamba, por exemplo – é que vêm resistindo mais profundamente, no Brasil, à desafricanização. Muito mais que o sangue, a cor e a forma dos homens. A Europa não as vencerá. A interpenetração é que lhes dará formas novas, através de novas combinações dos seus valores com os valores europeus e indígenas.” (FREYREGilberto, p. 650)

You may also like
Menina com paralisia cerebral ganha na Justiça direito de receber óleo de maconha no Ceará
Projeto de lei de Paulo Teixeira propõe regulamentação da cannabis no Brasil
Plantio de maconha mobiliza empresas no Brasil
Plano de saúde é obrigado a fornecer óleo de maconha a garoto de 15 anos

Leave a Reply