CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > SAÚDE > FDA aprova testes com medicamento para epilepsia a base de maconha

FDA aprova testes com medicamento para epilepsia a base de maconha

/

Um fato emblemático acaba de agitar o universo da maconha medicinal: o Food and Drug Administration (FDA) – órgão regulador de alimentos e medicamentos nos Estados Unidos – aprovou pela primeira vez na história testes com voluntários envolvendo um remédio feito de maconha.

Trata-se do Epidiolex, que contém 98% de canabidiol e é indicado para epilepsia. Quem está por trás da iniciativa  é o laboratório GW Pharmaceuticals, que já produz o Sativex. Definitivamente, a maconha está na mira dos grandes laboratórios farmacêuticos – o que pode significar um avanço (ou não) para a legalização – mas, certamente, representa muitos intere$$e$ por trás da erva sagrada.

As pesquisas serão conduzidas por médicos da Universidade de Nova York e Universidade da Califórnia. Detalhe: quem receberá o medicamento será um grupo de 25 crianças portadoras de epilepsia de difícil controle. O objetivo é investigar as comprovadas propriedades anti-convulsivas do canabidiol (CBD).

Segundo Geoffrey Guy, presidente do GW Pharmaceuticals, se “nos próximos meses a FDA permitir, haverá uma série de médicos nos grandes centros universitários em todos os EUA , cada um tratando uma dezena de pacientes com epilepsia”.

Ou seja, é possível que, em 2014, centenas de crianças com epilepsia estejam se tratando com o remédio à base de maconha.

Para quem não sabe, a GW é a empresa britânica que tem a aprovação do governo desde 1998 para desenvolver extratos vegetais à base de canábis. Seu principal produto é o Sativex , um extrato que contém CBD e THC – e que foi aprovado pelos órgãos reguladores no Reino Unido e mais de 20 outros países para o tratamento da dor e espasticidade na esclerose múltipla.

Após os mais recentes estudos e relatos que comprovam a eficácia da canábis para o tratamento da epilepsia pediátrica, muitos pais começaram a procurar a GW em busca de medicamentos – e eis que agora o Epidiolex ensaia sua entrada gloriosa no mercado.

* Clique aqui para ler na íntegra. 

You may also like
Estudo aponta que maconha reduz a dor, mas piora o autocuidado
Colômbia autoriza uso industrial da maconha e sua exportação com fins terapêuticos
Estudo: extrato de cânhamo promove perda de peso
78% dos brasileiros são favoráveis ao uso terapêutico da maconha

11 Responses

  1. cleidson

    ando tendo crises convulsivas e sou usuario de maconha mais so que agora parei com ela e to tomando gardenal mais preferia meu baseado

  2. cleidson

    ando tendo crises convulsivas e sou usuario de maconha mais so que agora parei com ela e to tomando gardenal mais preferia meu baseado

  3. A proibição da canábis é um insulto a nossos ancestrais e à “Ciência”…… São mais de 5000 anos de uso medicinal. Cliquem em “Abaixo o Prensado Fedorento” no Face e vejam. www,jackherer.com

  4. A proibição da canábis é um insulto a nossos ancestrais e à “Ciência”…… São mais de 5000 anos de uso medicinal. Cliquem em “Abaixo o Prensado Fedorento” no Face e vejam. www,jackherer.com

  5. Maria Noal

    Acho que falta respeito , quando se fala em aguém usuário do gradenal, por epilepsia. Gente, mais respeito quem tem sabe o que é.

    1. Não faltei com o respeito por portadores de epilepsia nem usuários de Gardenal em nenhum momento, Maria. Pelo contrário, a intenção é munir estes pacientes com informações úteis sobre os benefícios medicinais da canábis.

      Abraço!

  6. Maria Noal

    Acho que falta respeito , quando se fala em aguém usuário do gradenal, por epilepsia. Gente, mais respeito quem tem sabe o que é.

    1. Não faltei com o respeito por portadores de epilepsia nem usuários de Gardenal em nenhum momento, Maria. Pelo contrário, a intenção é munir estes pacientes com informações úteis sobre os benefícios medicinais da canábis.

      Abraço!

  7. quem diria….em vez de perguntar se o sujeito lesado já tomou gardenal…diríamos…vc ja usou sua maconha hj? …rsrsr eu me divirto.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.