Sabe aquele odor indescritivelmente delicioso que exala do seu pote de maconha favorito? Ou então aquele cheiro quase afrodisíaco que sai de uma sala de cultivo em fase de floração? Pois isso é fruto dos terpenos, que são moléculas naturais de aroma e sabor produzidas por diversas plantas, incluindo a cannabis.

Secretados pelas mesmas glândulas que produzem canabinoides, os terpenos consistem em óleos essenciais repletos de propriedades terapêuticas.

De acordo com o site Biomania, tais substâncias ficam “armazenadas nas folhas, flores, frutos, caules e raízes de muitas plantas, e em glândulas odoríferas de animais, sendo os responsáveis pela grande parte dos cheiros exalados nos campos e florestas”.

THC não tem cheiro

É isso aí: não só o THC, mas nenhum dos outros canabinoides possui algum tipo de cheiro característico. O que confere o delicioso perfume às plantas, de fato, são os terpenos.

É graças à presença de determinados compostos  que a maconha possui aromas distintos como cítrico, mentolado e doce, por exemplo.

Terpeno medicinal

De inegável uso medicinal, os terpenos são a base de ciências como a aromaterapia. Muito além de apenas conferir aroma à maconha, eles interferem na chapação. Pacientes medicinais que necessitam de efeitos sedativos, por exemplo, devem buscar por strains ricas em Mirceno (veja mais detalhes nas imagens a seguir). Já quem precisa se manter alerta e produtivo deve apostar nas variedades ricas em Alfa-pineno.

Conheça os 8 principais terpenos

A seguir, confira os oito principais terpenos presentes na maconha, incluindo as principais características e aplicações terapêuticas de cada um:

oxdcariofileno terpinoleno mirceno linalol limoneno betacariofileno alfapineno alfahumuleno

*Foto de abertura: Cannabis Culture

Inscreva-se em nossa newsletter

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novidades diretamente em seu e-mail

Você se inscreveu com sucesso