CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > CIÊNCIA > Pesquisadores brasileiros estudam o efeito antidepressivo do CBD

Pesquisadores brasileiros estudam o efeito antidepressivo do CBD


O tratamento da depressão é geralmente realizado com o uso de antidepressivos, e este tipo de medicamento leva tempo para agir, cerca de 2 a 4 semanas. Dessa maneira, em alguns casos, é necessária a intervenção concomitante com outros tipos medicamentos de ação mais rápida. Neste contexto, estudos indicam que o canabidiol (CBD) pode ser promissor.

A depressão é um distúrbio de humor comum, porém sério. Ela causa sintomas graves que afetam a maneira como você se sente, pensa e lida com as atividades diárias, como dormir, comer, trabalhar e se relacionar com outras pessoas. A depressão afeta aproximadamente 20% da população mundial e, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é uma das principais causas de incapacitação.

Na maioria das vezes, o tratamento farmacológico da depressão (com o uso de medicamentos) é realizado através do uso de antidepressivos da classe dos Inibidores Seletivos da Recaptação de Serotonina (ISRS). Porém, este tipo de medicamento demora a fazer efeito e o alívio dos sintomas não é imediato.

Além disso, os ISRS induzem efeitos adversos significativos, principalmente no início do tratamento, tais como náusea, vômito, sudorese, impotência, tontura e tremores. Estes fatores diminuem a aderência dos pacientes ao tratamento e evidenciam a necessidade do estudo e desenvolvimento de novos antidepressivos de ação rápida eficazes.

A depressão afeta aproximadamente 20% da população mundial e segundo a OMS é uma das principais causas de incapacitação.

Recentemente, pesquisadores brasileiros de Ribeirão Preto publicaram um artigo científico que indica que o canabidiol (CBD), uma substância não-psicoativa encontrada na maconha, pode vir a ser um medicamento promissor. O estudo foi conduzido com a utilização de ratos e camundongos de laboratório. Os animais, que já apresentavam características depressivas,  receberam tratamento com CBD e a seguir foram submetidos à alguns testes para a avaliação da depressão.

Os pesquisadores observaram que o CBD teve a propriedade de induzir efeito antidepressivo rapidamente, já em 7 minutos de avaliação, e que perdurou por até 30 minutos. Os neurocientistas explicam que este efeito do CBD provavelmente é decorrente de mudanças na plasticidade sináptica e que estes dados confirmam um perfil terapêutico promissor para o CBD como um novo antidepressivo de ação rápida.

*Por Lia Esumi: Bióloga, MS/PhD em Psicobiologia e colaboradora no Maryjuana.

You may also like
Uso tópico de CBD reduz dor crônica nas costas
Anvisa nega pedido da Unicamp para pesquisa com cultivo de maconha
Anvisa autoriza patente de goma de mascar de maconha contra dor crônica
ONU retira maconha de lista de drogas mais perigosas; Brasil vota contra

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.