Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > BRASIL > UFPB pretende cultivar maconha para fabricação de remédio por meio de convênio

UFPB pretende cultivar maconha para fabricação de remédio por meio de convênio


MPF, UFPB e Lifesa vão pedir autorização para plantar a erva; após produção, a pesquisa deve ser registrada na Anvisa.

O Ministério Público Federal (MPF), representantes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e do Laboratório Industrial Farmacêutico da Paraíba (Lifesa) resolveram prosseguir com as tentativas de firmar um convênio que permitirá a fabricação de medicamento com o uso de maconha. A decisão, divulgada no dia 13/11, foi tomada durante uma reunião realizada na sexta-feira (9).

A primeira ideia, segundo o procurador regional dos Direitos do Cidadão, José Godoy Bezerra de Souza, é que a maconha seja plantada no campus da UFPB, em João Pessoa, para que a erva seja utilizada pelo Lifesa. O laboratório deve produzir o medicamento com padrão farmacêutico.

As discussões sobre a produção do medicamento já acontecem há mais de um ano. O próximo passo é solicitar autorização de cultivo da planta pela UFPB, para que a pesquisa seja desenvolvida e registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O MPF atesta, através de documentos médicos, que não há dúvidas sobre a eficácia do uso dos óleos da cannabis no tratamento de crises epilépticas e de outras doenças. Alegou ainda que a substância já é autorizada em países como Inglaterra, Nova Zelândia e Canadá e em mais de 20 estados americanos.

*Fonte: G1

You may also like
Anvisa regula medicamentos de maconha, que serão vendidos em farmácias brasileiras
Dor de cabeça pode ser tratada com maconha
Participe do Levantamento Global de Drogas 2020
Justiça autoriza mulher com Parkinson a plantar maconha para tratamento

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.