Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > VAPER > CULT > 6 dicas para vaporizar ervas

6 dicas para vaporizar ervas


Espalhe a boa !
Confira algumas dicas para garantir a melhor experiência possível ao vaporizar ervas!

Sem dúvida uma das maneiras mais saudáveis de consumir cannabis, vaporizar também permite extrair o máximo de sabor de suas ervas.

Vaporizadores eletrônicos de qualidade, que oferecem controle total de temperatura e não geram combustão, possibilitam desfrutar totalmente dos terpenos (moléculas naturais que conferem aroma e sabor à maconha e outras plantas medicinais).

Embora os bons vapes já sejam projetados para intensificar e purificar ainda mais os aromas e efeitos das flores, sempre é possível melhorar a experiência!

Veja abaixo 5 dicas para vaporizar ervas com o máximo de eficiência e sabor:

1- Selecione as ervas

Pouco adianta investir em um vaporizador de qualidade e consumir maconha de procedência duvidosa. Para a melhor experiência possível, dê preferência às flores bem curadas e de qualidade. Caso não tenha acesso, considere a hipótese de cultivar sua própria erva.

Evite utilizar ervas extremamente secas, pois o processo de vaporização depende da umidade para que todos os canabinoides e terpenos atinjam o ponto de ebulição e formem o vapor, que será inalado da mesma forma que a fumaça (mas sem causar danos à saúde, claro!).

Sendo assim, as melhores ervas para vaporizar são aquelas que não estão nem muito úmidas nem muito secas. Para testar a umidade de suas flores, pressione os brotos levemente entre os dedos: eles não devem parecer úmidos ao toque, mas também não podem estar tão secos a ponto de esfarelar entre os dedos.

2- Troque as ervas no tempo certo

Tá certo que os vapes costumam fazer a cannabis render mais, até porque propiciam aproveitamento total das ervas, uma vez que o vapor fica concentrado no dispositivo e não queima aleatoriamente como no caso dos baseados.

Mas isso não quer dizer que sua maconha terá duração eterna. Depois de algumas tragadas – que podem ser 5 ou 15, a depender da capacidade do vaporizador e da temperatura utilizada – é comum sentir um leve sabor tostados. Para que isso não aconteça, substitua as ervas já vaporizadas ao menor sinal de gosto ruim.

3- Dichave cuidadosamente

Triturar bem as ervas é essencial para uma vaporização bem sucedida. Só que isso não significa que se deve esfarelar completamente as flores. Pelo contrário: é necessário conhecer o sistema de aquecimento do seu vape para saber até que ponto dichavá-las.

No caso de dispositivos aquecidos por condução, o ideal é moer as flores até que fiquem bem finas, compactando-as na câmara de aquecimento. Já os vapes aquecidos por convecção exigem que as ervas sejam não estejam tão finas e nem compactas, permitindo que o ar flua facilmente pelo interior da câmara, o que gera mais sabor e vapor.

Para finalizar, vaporizadores com sistema de aquecimento híbrido – a exemplo do ArGo – não possuem muitas exigências nesse sentido, permitindo que se triture as ervas de diferentes maneiras.

Para ajudar na trituração, utilize de dichavadores específicos para esse fim ou uma pequena e afiada tesoura.

4- Fique de olho na temperatura

Calibrar a temperatura do vape é um dos aspectos mais importantes para quem deseja ter uma excelente experiência de vaporização.

De modo geral, recomenda-se que a temperatura ideal esteja entre 180º C a 210° C (356º F a 410°F). Vale lembrar também que diferentes canabinoides e terpenos vaporizam a diferentes temperaturas. Além disso, variações no teor de umidade também podem afetar a vaporização das ervas.

Como cada dispositivo conta com suas próprias especificações e controle de temperatura, o ideal é dedicar um tempinho para testar testar diferentes faixas de temperatura até encontrar a que mais lhe agrada.

5- Utilize acessórios e componentes de vidro

Ao escolher um vaporizador, opte por modelos que incluam componentes feitos de vidro borossilicato, que são 100% resistente às altas temperaturas e choques térmicos e altas temperaturas, além de garantirem sabor limpo e puro.

Toda a linha de vaporizadores da Arizer, por exemplo, utiliza apenas componentes internos de vidro, sendo a melhor opção para quem deseja obter o máximo de sabor e eficiência ao vaporizar ervas.

6- Mantenha a limpeza em dia

Para funcionar apropriadamente, o vaporizador deve estar limpo, sem resíduos impregnados na câmara de aquecimento e no bocal.

Excesso de resina e sujeira acumuladas podem reduzir o fluxo de ar – e até mesmo bloqueá-lo por completo, inviabilizando a vaporização. Isso sem falar que a sujeira interfere negativamente no sabor.

Sendo assim, mantenha a limpeza do vape sempre em dia, seguindo as instruções fornecidas pelo fabricante.

Que tal começar a vaporizar agora?

Conheça os vapes mais incríveis e discretos do mercado!

VAPORIZE JÁ

 

You may also like
Quer um vapor denso e saboroso? Conheça o Arizer Air II
Uso de vaporizador evita manchas nos dentes
Vapetube: Conheça os 5 vapers mais populares do Youtube
Uso de vaporizador evita danos ao pulmão

Leave a Reply