CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > ATIVISMO > ARTIGOS > NORML recomenda legalização total da maconha no Brasil

NORML recomenda legalização total da maconha no Brasil

/

norml_remember_prohibition_
Colaboração: Léo Sativa*

Em conversa via email o diretor executivo da NORML, Allen St.Pierre, afirmou que “sem dúvida, a proibição da maconha é um fracasso sórdido tanto aqui como nos Estados Unidos”. O executivo sugere uma “legalização total da canábis no país” que, em consequência, geraria o recolhimento de impostos sobre o comércio da erva, que poderiam ser direcionados a áreas importantes como, por exemplo, à saúde, educação e segurança.

Uma das pioneiras no ativismo canábico mundial, a ONG norte-americana NORML (National Organization for the Reform of Marijuana Laws)  tem como objetivo promover a legalização do uso adulto e responsável da maconha, além do uso médico e industrial.

Allen também revelou que a NORML não é afiliada a nenhum partido político, porém apoia candidatos e partidos que favorecem a legalização da maconha. A organização conta com um comitê – o Political Action Comittee – que financia partidos e políticos que ajudam o trabalho da ONG.

Outra atitude recomendada pela entidade é o fomento de usuários responsáveis de maconha, o que a organização chama de Princípios do Uso Responsável da Canábis.

Para a NORML, o usuário de maconha deve respeitar os não-usuários, evitar dirigir e trabalhar sob o efeito da droga, não permitir o uso por menores de idade e evitar abusos no consumo.

Tendo em vista o importante momento que estamos vivendo, é fundamental que o governo brasileiro estude e leve em consideração atitudes como as da NORML para que tenhamos nossa própria reforma nas leis de drogas, principalmente no caso da maconha. E nós, como defensores de uma mudança na lei, também devemos ajudar o nosso governo a se informar e fazer a melhor escolha dentro da possível legalização da maconha no Brasil.

*Léo Sativa é radialista em São Paulo (SP).

You may also like
Ministro Barroso divulga vídeo com defesa de descriminalização da maconha
Colorado ultrapassa US$ 10 bilhões em vendas de maconha
Nova York aprova projeto de legalização da maconha
Cannábicas: documentário destaca as vozes femininas do ativismo canábico no mundo

1 Response

  1. Verdemarley

    minha primeira droga foi a cocaina até eu perceber que estava enlouquecendo desde então o baseado passou a ser meu favorito e continuo fumando até hoje ainda que a igreja tentasse me impedir e resolvi esse problema dando um bicão na igreja e continuei com o meu abençoado baseado.hoje a medida que estudo sua infinita aplicação descobri que droga são os interesses economicos,politicos e religiosos desse mundo podre que precisa de muita maconha para se purificar.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.