CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > CIÊNCIA > Maconha pode falsear memórias

Maconha pode falsear memórias

Espalhe a boa !

Um novo estudo conduzido por pesquisadores da Universidade Autônoma de Barcelona e publicado no jornal norte-americano Molecular Psychiatry mostra que os usuários de cannabis têm mais chances de “falsear” lembranças do que aqueles que não a consomem.

Em alguns casos, o cérebro pode se lembrar de coisas que nunca aconteceram.

Não se trata, porém, de loucura ou alucinação. Segundo o artigo, todos nós distorcemos nossas memórias em algum nível.

Um exemplo disso é quando acreditamos nos lembrar com precisão de momentos em nossa infância apenas porque alguém os narrou repetidamente para nós.

No entanto, consumidores crônicos de maconha são mais vulneráveis a estes “erros” de memória. Isso acontece porque a maconha diminui a atividade de uma estrutura cerebral chamada hipocampo, que armazena lembranças e nos permite diferenciar fatos reais de imaginários.

O que preocupa os cientistas é que o uso frequente da cannabis pode comprometer por meses a capacidade do consumidor de distinguir o “verídico do ilusório”.

Para os estudiosos, a questão é mais do que um problema de saúde pública. Em um exemplo mais extremo, a distorção de memórias poderia colocar em cheque a validade de um testemunho e a legitimidade de um julgamento.

Experimento

A descoberta foi realizada por meio de um teste com dois grupos: um de não usuários e outro de pessoas que eram consumidoras de maconha mas não utilizavam a droga havia semanas.

Cada grupo recebeu uma lista com uma série de palavras, com a orientação de tentar memorizá-las.

Alguns minutos depois, receberam a mesma lista, mas com alguns termos adicionais, sendo alguns deles relacionados semanticamente aos anteriores.

Em seguida, os participantes foram convidados a identificar que palavras pertenciam à lista original.

Como resultado, o grupo de consumidores afirmou ter visto na primeira lista palavras que só constavam na segunda.

Usando imagens de ressonância magnética, os pesquisadores observaram nos usuários uma menor ativação em áreas do cérebro relacionadas com a memória e com o controle cognitivo.

Para aqueles que consumiam a droga com maior frequência, a vulnerabilidade do cérebro a “falsas memórias” se mostrou maior.

*Fonte: Exame

You may also like
Estudo aponta que maconha reduz a dor, mas piora o autocuidado
Maconha pode aumentar a vontade de se exercitar, sugere estudo
Uso de maconha na adolescência está associado à queda no QI
Estudo: toxinas na fumaça da maconha podem ser prejudiciais à saúde

1 Response

  1. isso de falsear a memoria o álcool já faz, até pior.
    nunca aconteceu comigo da maconha fazer isso a mim
    sempre após seu efeito eu me lembro das coisas que fiz.
    acho que isso é mais o psicológico, tipo uma pessoa sóbria quando tem um déjávu

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.