Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > BRASIL > Justiça absolve médico de Santos por cultivo de maconha

Justiça absolve médico de Santos por cultivo de maconha


Espalhe a boa !
  • 1.2K
    Shares

Um médico ginecologista e obstetra autuado em flagrante por tráfico de drogas porque cultivou maconha no apartamento onde morava, no Embaré, em Santos, não receberá qualquer tipo punição. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) reconheceu a prescrição da intenção estatal de punir o réu, que desse modo continua primário.

Por unanimidade, os desembargadores Fábio Gouvêa, Nuevo Campos e Rachid Vaz de Almeida, da 10ª Câmara de Direito Criminal, tomaram essa decisão ao apreciar a apelação interposta pelo advogado Marcelo José Cruz. Apesar da desclassificação do crime de tráfico para o de porte de drogas, o defensor recorreu.

O processo tramitou pela 6ª Vara Criminal de Santos e a juíza Silvana Amneris Rôlo Pereira Borges acolheu a tese da defesa, de acordo com a qual o ginecologista plantou a maconha para o próprio consumo. Cruz ainda enfatizou que não havia uma prova sequer do envolvimento do cliente com o comércio do entorpecente.

flagra_médico

O próprio Ministério Público – que denunciara o médico por tráfico, sujeitando-o a pena de 5 a 15 anos de reclusão, na hipótese de condenação – adotou o entendimento da defesa ao apresentar as suas alegações finais. Desse modo, a juíza desclassificou o crime de tráfico para o de porte de drogas e o sentenciou por este delito.

A pena imposta foi a de prestação de serviços comunitários, por um mês, em escolas, hospitais ou entidades assistenciais, públicos ou privados, sem fins lucrativos. Cruz sustentou no recurso que o porte de droga, por ser infração penal de menor potencial ofensivo, possibilita ao réu os benefícios previstos na Lei 9.099/95.

No entanto, ao condenar o médico, a magistrada não lhe deu oportunidade a tais benefícios, como a transação penal e a suspensão condicional do processo. Caso não fosse esse o entendimento do TJ-SP, o advogado ainda requereu na apelação a substituição da prestação de serviços comunitários pela pena de advertência.

De acordo com os desembargadores, após desclassificar o tráfico para o porte de droga, a juíza deixou de ser competente para julgar o processo, que deveria ser remetido ao Juizado Especial Criminal (Jecrim). “Assim é caso de anular parcialmente a respeitável sentença, mantida a desclassificação, mas afastada a condenação.”

Contudo, em virtude do tempo decorrido do oferecimento da denúncia até a apreciação do recurso, o processo não mais poderia ser encaminhado ao Jecrim, porque o TJ-SP reconheceu de ofício (por iniciativa própria) a prescrição da pretensão punitiva do Estado. Consequentemente, a punibilidade do ginecologista foi julgada extinta.

Réu permaneceu 3 dias na cadeia

Policiais civis revistaram o apartamento do médico com ordem judicial, em novembro de 2012. No local havia cinco vasos com maconha, uma pequena porção da erva, estufa, termômetro e outros materiais destinados à agricultura caseira. Preso em flagrante, ficou três dias na cadeia e obteve liberdade provisória para responder ao processo solto.

O acusado disse que adquiriu as sementes de maconha por meio de um site estrangeiro e elas lhes foram enviadas da Europa para o Brasil pelos Correios. No mesmo endereço da internet, ele recebeu as orientações necessárias sobre como fazer o cultivo da planta, que é proibido no País.

O médico ressalvou que nem todas as mudas apreendidas eram aptas à produção de maconha, porque isso depende do sexo das sementes, cuja identificação só é possível após a germinação. “Somente a fêmea dá flor, que é a parte consumível da planta e que detém o princípio ativo do entorpecente. Várias plantas que vingaram eram machos.”

*Fonte: A Tribuna

You may also like
Osmar Terra cita informações falsas ao discutir legalização da maconha
Anvisa libera cultivo de maconha medicinal para associações
Governador do Rio de Janeiro diz que vai prender usuários de maconha
O orgulho é nosso, a justiça é de todos

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.