CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > MAIS LIDAS > Estudo: maconha melhora a qualidade de vida dos idosos

Estudo: maconha melhora a qualidade de vida dos idosos


Uso de cannabis por idosos está associado a melhorias na saúde e qualidade de vida em geral.

Publicado na revista científica Clinical Gerontologist, um novo estudo aponta que pessoas acima dos 60 anos só têm a ganhar com o uso de maconha.

A pesquisa, conduzida por cientistas afiliados à Universidade de Illinois e Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, envolveu 139 idosos.

Os participantes foram convidados a relatar as mudanças em suas vidas após o período de um ano fazendo uso da erva para tratar as mais diversas condições de saúde.

Qualidade de vida

Os cientistas apuraram que o uso terapêutico da cannabis – sobretudo por suas propriedades analgésicas – melhorou a qualidade de vida relacionada à saúde dos participantes.

Notou-se, por exemplo, uma “forte associação positiva” entre a frequência de consumo dos indivíduos e as melhorias relatadas em casos de dores diversas.

Sem efeitos colaterais

O estudo relata que não houve “nenhuma associação estatisticamente significativa entre o uso terapêutico de cannabis e eventos adversos”.

Os cientistas apuraram ainda que, quanto mais frequente o consumo da erva, maiores foram os benefícios à saúde.

“Nosso estudo também encontrou uma forte relação positiva entre o aumento da frequência do uso de cannabis e uma melhora relatada na percepção da dor.”

Publicado na última semana, o estudo contou com financiamento do Retirement Research Fund e do Departamento e Saúde Pública e Meio Ambiente do Colorado.

Vantagens do uso de cannabis por idosos

Os resultados desta nova pesquisa ajudam a endossar outras evidências anteriores dos benefícios do uso de cannabis por idosos.

Em 2016, um estudo veiculado na revista Health Affairs mostrou que a erva ganhava cada vez mais a preferência das pessoas mais velhas na hora de tratar doenças como depressão, ansiedade e convulsão.

O levantamento apontava ainda que os “coroas maconheiros” consumiam menos analgésicos, antidepressivos e remédios para dormir.

Além das moléstias já citadas, a cannabis é muito indicada para tratamento de glaucoma, náuseas, distúrbios de sono e rigidez muscular, entre outras.

Também são muitas as evidências de benefícios da cannabis no tratamento de pacientes com Alzheimer – que o diga Ivo Suzin, que se tornou um dos mais célebres símbolos da luta pelo acesso à maconha no Brasil.

Não por acaso, o uso da erva tem aumentado exponencialmente entre idosos em locais como os Estados Unidos.

*Junte-se à roda do Maryjuana no Telegram.

You may also like
Toxicológico: estudo revela que THC permanece no sangue por longos períodos
Brasileira lança incubadora e concurso para projetos canábicos inovadores
Extratos de maconha são eficazes no tratamento do câncer, aponta estudo
Pesquisa avalia tolerância à dor em usuários de cannabis

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.