CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > SAÚDE > Nova pesquisa aponta eficácia do THC no combate à covid-19

Nova pesquisa aponta eficácia do THC no combate à covid-19


Pesquisa da Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, aponta eficácia do THC no combate à inflamação causada pela covid-19

Segundo reportagem do EurekAlert!, a síndrome do desconforto respiratório agudo (SRDA), quando causada por uma toxina bacteriana conhecida como enterotoxina estafilocócica, pode ser completamente prevenida pelo tratamento com Δ9-tetrahidrocanabinol (THC).

A descoberta foi divulgada em meados de agosto na renomada revista científica British Journal of Pharmacology.

O novo artigo baseou-se em investigações do Dr. Mitzi Nagarkatti e Dr. Prakash Nagarkatti, que há anos estudam como os compostos derivados de plantas podem ser usados ​​para prevenir e reduzir a inflamação em todo o corpo.

Ambos pertencem à Faculdade de Medicina da Universidade da Carolina do Sul (UofSC), Departamento de Patologia, Microbiologia e Imunologia.

A incidência de SDRA nos Estados Unidos é de 78,9 por 100.000 pessoas/ano – e a taxa de mortalidade é de 38,5%.

Tempestade de citocinas

Quando inalada, a enterotoxina estafilocócica pode causar SDRA ao ativar as células do sistema imunológico para produzir grandes quantidades de citocinas, levando à “tempestade de citocinas”, que pode causar a falência dos pulmões e de outros órgãos, freqüentemente resultando em morte.

Esse processo imunológico é semelhante ao observado em pacientes com quadros gravdes de COVID-19 que são admitidos no hospital e desenvolvem SDRA acompanhada da tempestade de citocinas, que leva à insuficiência respiratória e de múltiplos órgãos.

Esses estudos, portanto, levantam a possibilidade empolgante de usar canabinoides para tratar a SDRA observada em pacientes com COVID-19.

Esses estudos também mostraram que a enterotoxina estafilocócica altera a microbiota dos pulmões, levando ao surgimento da microbiota patogênica.

Mas o THC também ajuda nesse sintoma, ao promover bactérias benéficas que suprimem a inflamação, evitando assim os danos aos pulmões.

“A síndrome do desconforto respiratório agudo é desencadeada por uma variedade de agentes etiológicos. Atualmente, não há medicamentos aprovados pela FDA para tratar a SDRA, devido à qual a taxa de mortalidade é próxima a 40%. Nossos estudos sugerem que o THC é altamente eficaz no tratamento da SDRA e portanto, os ensaios clínicos são essenciais para investigar se isso funciona “, disse Mitzi Nagarkatti.

“A tempestade de citocinas é um grande problema clínico que leva à falência de vários órgãos e, muitas vezes, à morte. Também é observada em pacientes com COVID-19, e não há modalidades de tratamento eficazes contra esta síndrome. Temos trabalhado com canabinoides por mais de 20 anos e descobrimos que canabinoides como o THC são altamente anti-inflamatórios. Assim, nossos estudos levantam a sugestão emocionante de testar o THC contra a SDRA observada em pacientes com COVID-19 “, disse Prakash Nagarkatti.

O laboratório Nagarkatti realizou décadas de estudos pioneiros com canabinóides. Na verdade, seus estudos sobre o uso de outro canabinoide derivado da planta da cannabis, o canabidiol (CBD), para tratar a hepatite autoimune foram bem reconhecidos no campo e levaram à aprovação do FDA do CBD como um medicamento órfão para tratar esta doença .

O Laboratório Nagarkatti publicou extensivamente para demonstrar que os canabinóides são agentes antiinflamatórios potentes que podem ser usados ​​com segurança para tratar uma variedade de doenças inflamatórias e autoimunes, como esclerose múltipla, colite, hepatite e semelhantes.

*Junte-se à roda do Maryjuana no Telegram.

You may also like
Ícone da ciência canábica, Elisaldo Carlini morre aos 91 anos
Toxicológico: estudo revela que THC permanece no sangue por longos períodos
Extratos de maconha são eficazes no tratamento do câncer, aponta estudo
Pesquisa avalia tolerância à dor em usuários de cannabis

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.