CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > ATIVISMO > ARTIGOS > Faça sua parte: 9 dicas para ajudar na legalização da maconha

Faça sua parte: 9 dicas para ajudar na legalização da maconha


Ok, a descriminalização da maconha é um imbróglio que não depende apenas de você. Mas há algumas pequenas atitudes práticas para adotar no cotidiano que podem fazer MUITA diferença na mudança de cultura em longo prazo.

Conheça abaixo nove dicas para serem colocadas em prática a partir de agora e faça sua parte pela legalização da canábis no Brasil!

1- RESISTA À PROIBIÇÃO: Conheça seus direitos e lute por eles. Nunca permita invasão de espaço durante uma batida policial ou deixe que entrem na sua casa sem mandado de busca e apreensão. Mantenha a postura e, se for enquadrado, alegue inocência e negue até a morte.

2- ENTRE EM CONTATO COM OS GOVERNANTES DE SUA CIDADE/ESTADO: Busque pelos contatos de email de senadores  e deputados estaduais e federais, solicitando para que se posicionem a respeito da reforma da legislação relacionada à canábis. Se puder telefonar ou visitá-los pessoalmente em seus gabinetes, melhor ainda!

3- MANTENHA-SE BEM INFORMADO E CONVERSE COM AS PESSOAS SOBRE A DESCRIMINALIZAÇÃO DA CANÁBIS: Informe-se sobre as propriedades terapêuticas, industriais e medicinais da maconha e reúna argumentos para dialogar principalmente com os mais “caretas” e preconceituosos, que são os que mais precisam ouvir a verdade.

4- APOIE AS MARCHAS E ENTIDADES BRASILEIRAS DEDICADAS À CAUSA: Compareça à Marcha da Maconha em sua cidade. Caso isso não seja possível, informe-se sobre outras maneiras de apoiar o movimento, seja através de doações ou auxílio na divulgação. Há ainda uma série de entidades anti-proibicionistas que se dedicam a combater o preconceito. Sempre é possível ajudar de alguma forma. Lembre-se: quem quer, faz; quem não quer, arranja uma desculpa!!!

5- ESCREVA PARA JORNAIS, REVISTAS E EMISSORAS DE TV: Fique de olho no que a chamada “grande mídia” fala sobre a canábis e, ao menor sinal de preconceito por parte dos veículos de comunicação, não hesite em entrar em contato cobrando explicações e sugerindo novas abordagens para o tema. Isso também vale para emissoras e rádios regionais: ao menor sinal de informação preconceituosa, ligue ou mande email com reclamações!

6- SEJA CONTRA TODA FORMA DE PROIBICIONISMO: Se você tem filhos na escola, posicione-se nas reuniões de pais a favor de uma cultura anti-proibicionista, deixando claro que não apoia a quebra dos direitos das crianças em nome da tolerância zero.

7- SAIA DO ARMÁRIO: Exija sua liberdade de celebrar a natureza! Assuma sua condição de canabista perante o maior número possível de amigos e familiares. Torne sua casa um espaço legalizado, onde todos são convidados a relaxar e deixar de lado pré-conceitos ultrapassados.

8- SEJA UM EXEMPLO: Seja um canabista produtivo e zele pela sua reputação pessoal e profissional, quebrando os estereótipos negativos que algumas pessoas possuem sobre os consumidores de canábis.

9- DIGA NÃO AO TRÁFICO: Tenha sua própria plantação para consumo próprio e compartilhe com amigos. Se Deus criou a canábis, não será o homem que irá proibi-la de nascer.

You may also like
Mais 4 estados norte-americanos votarão uso recreativo de maconha
Entre tijolos e territórios ou pontes sobre abismos
“Comigo não tem liberação de droga nem plantio”, diz Bolsonaro sobre maconha
Casal ganha direito de importar sementes de maconha para tratar filha

5 Responses

  1. Buker

    OI tia !!! Podia ter comentado sobre o GR que afinal sempre foi a pedra de roseta das marchas pelo Brasil, o DAR atua mais estritamente em São Paulo..

  2. Oi, Emerson!! Tem razão, mas vc pode legalizar pra quem tb já legalizou e pros “simpatizantes”, rsrs. Óbvio que não precisa escancarar de vez pra geral, mas para os mais chegados é possível assumir uma postura no mínimo anti-proibicionista. Bjinhos da titia!!!

  3. Emerson

    Legal essa postura no qual foi citada. Basta seguir porem dizer que em sua casa entra maconha nao e muito legal, ate porque ainda e proibido.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.