Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > MEDICINAL > Maconha favorece a cognição em pacientes com bipolaridade, aponta estudo

Maconha favorece a cognição em pacientes com bipolaridade, aponta estudo


Espalhe a boa !

Mais uma excelente notícia para destruir mitos e justificar o uso medicinal da maconha! Resultados de um estudo norte-americano inédito apontam que pacientes bipolares com histórico de uso de cannabis apresentam melhor função cognitiva do que aqueles que nunca consumiram a erva.

Conduzida pela equipe do Hospital Hillside Zucker em Glen Oaks, Nova Iorque, a pesquisa demonstrou que portadores de transtorno bipolar I que utilizaram maconha obtiveram melhor desempenho em testes de atenção, velocidade de processamento e memória do que os demais, segundo relatório divulgado pela revista Medical News.

“Isso sugere que o consumo de cannabis pode ter um efeito benéfico sobre o funcionamento cognitivo em pacientes com transtornos psiquiátricos graves”, disse Raphael Braga, um dos coordenadores do estudo. “No entanto, também é possível que estes resultados sejam devido à exigência de um certo nível de função cognitiva e habilidades sociais para  a aquisição de substâncias ilícitas”, completou o pesquisador.

Foram avaliados 200 pacientes com transtorno bipolar I, sendo que 50 utilizaram cannabis – o que, na linguagem médica dos gringos, é chamado de “Cannabis Use Disorder” (CUD), ou seja, “transtorno por uso de cannabis”. Todos foram submetidos a avaliações clínicas e completaram uma bateria de testes para medição do funcionamento neurocognitivo.

Mas, seja como for, o fato é que os pacientes que fumaram maconha apresentaram melhor atenção, velocidade de processamento e memória de trabalho do que os caretas, colocando em xeque velhos estereótipos de maconheiros “burros” e “lerdos”.

Não houve diferenças significativas entre os pacientes que fumaram maconha e aqueles que não o fizeram, relataram os pesquisadores à revista Psychiatry Research. Contudo, os pacientes com “Transtorno por Uso de Cannabis” eram mais propensos a ter um histórico de psicose do que os não-usuários, na proporção de 82% versus 67,3%.

“Esperamos que os resultados desse estudo ajudem a orientar e incentivar futuros trabalhos na área, elucidando o possível impacto do uso de maconha no transtorno bipolar”, declararam os pesquisadores.

**com informações do site Medical News.

You may also like
Empresa canadense inaugura primeira fábrica de maconha medicinal em Portugal
Uso de cannabis intensifica os orgasmos femininos, aponta estudo
Cada vez mais pacientes trocam remédios para ansiedade por maconha
Chipre legaliza uso terapêutico da maconha