CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > MUNDO > Empresa francesa lança teste para detectar uso de maconha

Empresa francesa lança teste para detectar uso de maconha

Dia desses um preocupado leitor, aspirante a grower e piloto de avião, me perguntou se eu conhecia alguma forma de detectar a presença de maconha no organismo antes de se submeter a exames médicos. Eu não sabia, até que interceptei essa notícia fresquinha publicada pela BBC Brasil: uma empresa francesa lançou um teste de urina para medir o teor canábico do organismo. O kit X-9 está sendo vendido em tabacarias em todo o país e também distribuído em algumas escolas por profissionais da área de saúde.

Intitulado Cannabis Verdict, o teste de detecção da maconha é uma novidade mundial. Produzido pela Elicole, possui usos variados permite que usuários motoristas possam verificar se há resíduos da droga no corpo, mas também pode ser usado por escolas ou empresas para saber se um aluno ou um funcionário consumiram maconha. Embora o uso medicinal seja tolerado, o consumo recreativo da erva permanece proibido no país.

veredicto

O produto foi lançado recentemente no Canadá e deverá chegar em breve ao Estados Unidos, onde já recebeu as autorizações necessárias para a venda. Ele também deverá ser distribuído em países da América do Sul, disse Marc Elie, proprietário da Elicole.

O Cannabis Verdict é um teste de urina e o resultado demora no máximo 15 minutos para ser revelado. O preço é de 3,50 euros (cerca de R$ 11).

O kit inclui ainda um livro de 24 páginas, com informações sobre riscos à saúde e a legislação internacional em relação ao uso de drogas.

Na França, 100 mil testes de maconha já foram vendidos desde o lançamento, em fevereiro.

Cerca de 7 mil tabacarias em todo o país vendem o produto atualmente, segundo Marc. “Estamos trabalhando também com a rede de ensino. Enfermeiras de colégios e liceus franceses utilizam o teste como uma ferramenta de prevenção”, afirma.

O Cannabis Verdict é destinado aos fumantes esporádicos de maconha, estimados em 4 milhões de pessoas na França, de acordo com o Observatório Francês de Drogas e Toxicomanias.

“Isso porque resíduos de THC (tetrahidrocanabinol, a substância ativa da maconha) podem permanecer de 24 a 96 horas no organismo do fumante”, explica Marc, que hoje paga de careta, mas no passado foi preso por tráfico de drogas – vítima da mesma proibição que hoje, diretamente ou indiretamente, ele fomenta através dese produto.Em fumantes regulares (presente!), o resultado será sempre positivo.

Motoristas 

O teste de maconha visa principalmente a segurança nas estradas. O objetivo é saber rapidamente se há resíduos de THC no organismo, para o caso de um eventual controle policial.“Uma pessoa pode dar apenas dois tragos em um baseado e ter resíduos de THC no organismo durante quatro dias. Diferentemente do álcool, em que há um limite autorizado, no caso da maconha basta que o resultado seja positivo para ter implicações judiciais”, afirma Marc.

Na embalagem do Cannabis Verdict está escrita a frase “a sua vida é preciosa. Faça o teste antes de pegar o volante”. Na França, um motorista com resíduos de THC no sangue perde seis pontos na carteira, sofre multa de € 4,5 mil (quase R$ 14 mil) e pode ser condenado a dois anos de prisão. Isso quando não há acidente. Se houver, a pena é de dez anos de prisão.

O teste de maconha também visa profissionais que exercem atividades de risco, como pessoas que trabalham em alturas e motoristas de caminhão, por exemplo. Na França, uma empresa tem o direito de fazer regularmente testes de controle, como o bafômetro, em trabalhadores que exercem funções com risco de acidentes.De acordo com a missão interministerial Contra as Drogas e Comportamentos de Adição, do governo francês, 20% dos trabalhadores do país utilizam psicotrópicos (que agem no sistema nervoso central), como álcool, maconha, cocaína e outras substâncias, incluindo medicamentos, como antidepressivos.

*Fonte: BBC Brasil

You may also like
Clubes canábicos de Barcelona correm risco de fechar após revés judicial
Empresa colombiana contrata mães solteiras para a produção de maconha
Deputado francês leva baseado ao Parlamento durante debate sobre legalização da maconha
Amsterdã reforça planos para restringir turistas nos coffee shops

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.