CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > SOCIEDADE > 5 dicas para conversar sobre maconha com seus filhos

5 dicas para conversar sobre maconha com seus filhos


Tem muita gente que passa a vida escondendo o hábito de consumir cannabis dos pais. Mas o que será que acontece quando a situação se inverte e, de repente, os maconheiros assumem o papel de pai ou mãe?

Engana-se quem pensa que abordar o tema da maconha com os próprios filhos seja algo totalmente desprovido de drama.

Graças às décadas de propaganda proibicionista, os tabus em relação à erva estão muito mais arraigados em nossa mente & contexto social do que podem parecer à primeira vista.

Isso significa que, quando se trata de legalizar com a prole, até mesmo os canabistas mais assumidos e bem-resolvidos podem ser surpreendidos com algum tipo de dúvida ou constrangimento.

“Enquanto as crianças são pequenas, até uns seis anos, é possível disfarçar completamente o hábito de fumar um. O problema é depois, quando passam a te questionar sobre tudo o que você faz”, conta Carolina dos Santos, mãe de dois meninos, de 5 e 9 anos.

Pensando nisso, fomos em busca de pais e mães com experiência na função – e na fumaça – para saber como eles abordaram o tema da cannabis com seus pequenos (ou nem tão pequenos assim).

A seguir, confira algumas dicas para conversar sobre maconha com seus filhos:

1- Esteja bem informado

beminformado_filhos

De nada adianta estar disposto a trocar ideia abertamente com as crianças (ou adolescentes) sem saber exatamente do que se está falando.

E, independente do tempo em que você fuma um, não adianta se basear apenas nos conhecimentos empíricos de usuário, nem muito menos no senso comum – afinal de contas, você não pode correr o risco de falar bobagem ou seguir disseminando preconceitos por aí.

Portanto, na hora de abordar um tema complexo como a cannabis com seus filhos, é preciso estar munido de informações verdadeiras e precisas.

Busque se atualizar sobre os irrefutáveis benefícios medicinais da planta, bem como dos fatos históricos acerca da proibição da mesma.

Há uma infinidade de vídeos e fontes de informação confiáveis sobre o assunto na internet, incluindo este humilde site que vos fala. Evite falar o que não sabe e, em caso de dúvidas, pesquise antes de tirar qualquer conclusão.

2- Quebre o gelo

quebrar_gelo

Não existe um “momento certo” para falar de maconha com os filhos – mas o fato é que será inevitável tocar no assunto algum dia.

“Talvez a conversa surja espontaneamente a partir de algum livro, revista ou programa de TV”, lembra Flávio Augusto de Moraes, pai de uma menina de 11 anos.

Usuário frequente de cannabis – assim como sua esposa – Flávio optou por “educar antes de explanar”, como costuma dizer.

Através de um livro infantil educativo – o It’s Just a Plant” (“Apenas uma Planta”) – ele conseguiu quebrar o gelo e introduzir o tema à pequena de forma lúdica e sem preconceitos.

“Minha filha hoje entende que a maconha nada mais é do que uma flor com propriedades medicinais, que é utilizada pelos adultos – incluindo seus pais – para combater variados sintomas.”

3- Fale a verdade

Seja lá em qual situação, jamais minta para seus filhos. Lembre-se que eles também irão aprender sobre maconha através da internet, TV e amigos.

Se houver algum questionamento sobre a planta que você julgar ser muito cedo para seu filho fazer, busque postergar um pouco a discussão – mas jamais evitá-la e, muito menos, mentir a respeito.

“Quando meu filho me flagrou cuidado de algumas plantas que mantemos num quarto separado, ele tinha apenas 7 anos e eu ainda não pretendia abordar o assunto com ele, mas fui obrigada a dizer a verdade”, relembra M. S., cultivadora e mãe.

4- Aja naturalmente

filhos

Esqueça as conversas formais e excessivamente didáticas. Quando se trata de falar sobre maconha com crianças e adolescentes, o segredo é focar em bate-papos casuais e divertidos.

Fale sobre o assunto de forma simples e direta, encorajando-os a questionar e opinar.

No caso de adolescentes, também vale colocar-se à disposição para auxiliá-los em suas futuras primeiras experiências com cannabis (quando chegar a devida hora, claro!).

5- Mantenha a privacidade

200328177-001

É sempre bom lembrar que não se deve expor menores de idade ao consumo de nenhuma substância psicoativa – seja ela lícita ou ilícita. Por este motivo, privacidade é a palavra-chave quando se trata de consumir maconha em ambiente doméstico.

Deixe claro para seus filhos que fumar maconha faz parte das liberdades individuais dos adultos. E que há lugares e ocasiões propícias para consumir a erva.

Enfatize a importância da privacidade a que todos têm direito e crie seus próprios horários e “rituais” para queimar um fora dos olhos (e narizes) dos pequenos.

Consumidora esporádica de cannabis, Carolina dos Santos não encontrou problemas para adaptar a rotina de maconheira aos afazeres maternos.

“Aproveito para fumar um quando meus filhos dormem ou estão na escola, assim evito questionamentos precoces e posso curtir minha brisa sossegada”, conta ela, que é mãe de dois meninos, de 5 e 9 anos.

*Junte-se à roda do Maryjuana no Telegram e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

You may also like
Maconha pode reduzir chances de engravidar, aponta estudo
Livro ensina crianças sobre os usos terapêuticos da maconha
Estudo: pais maconheiros são mais exigentes com os filhos
Jovem faz ensaio fotográfico para anunciar aos pais que é maconheiro

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.