CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > MUNDO > Nos EUA, presos serão perdoados por crimes envolvendo maconha

Nos EUA, presos serão perdoados por crimes envolvendo maconha


Justiça seja feita: Jay Inslee, governador do estado de Washington, anunciou um programa para perdoar presos e condenados por crimes relacionados à maconha. 

A crescente legalização da maconha nos Estados Unidos está transformado não só as áreas da saúde e economia, mas também o sistema judiciário e a vida de muitas pessoas afetadas pelo proibicionismo do passado.

Com o objetivo de limpar a ficha de pessoas acusadas de crimes relacionados à erva, Inslee divulgou um programa para perdoar presos julgados entre o período de 1998 e 2012. Os casos serão analisados individualmente por uma equipe especializada, que poderá perdoar até 3.500 pessoas detidas no estado.

“Nós não devemos seguir punindo pessoas por algo que não é mais considerado um comportamento ilegal no estado de Washington”, declarou o governador durante um evento estadual sobre a maconha.

Muito além de atualizar o sistema judiciário do estado, Inslee pretende ainda combater o racismo que permeia boa parte dessas prisões. Evidências apontam que a condenação de negros no estado devido a crimes relacionados às drogas chega a ser até 13 vezes maior do que da população branca.

Vale lembrar que Washington foi o segundo estado no país a regulamentar o uso recreativo da maconha, em dezembro de 2012. Desde 1998, o uso com fins medicinais também já era legal por lá.

*Fonte: NBC News

You may also like
Morre Dr. Lester Grinspoon, lendário defensor da legalização da cannabis
Israel abre caminho para a legalização da cannabis
Governador de Nevada propõe perdão aos condenados por porte de maconha
High Times inaugura rede de dispensários em Michigan, nos EUA

1 Response

  1. Finalmente ler alguma coisa boa a respeito desse País, espero que com essa mudança a situação da população negra encarcerada mude e com uma boa indenização por danos morais.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.