Fumar está longe de ser a única opção para quem deseja ou necessita consumir cannabis. 

Tem quem não pode. Tem quem não quer. E tem quem não suporte. O fato é que o hábito de fumar está longe de ser uma unanimidade.

Além disso, buscar alternativas à fumaça auxilia na redução dos danos comumente associados à combustão da maconha.

Conheça 4 maneiras de fazer a cabeça sem a necessidade de fumar:

1- Vaporizar

Vaporizar é, sem dúvida, a forma mais saudável – e eficiente – de consumir cannabis através das vias aéreas. Ao possibilitar o controle de temperatura, os vaporizadores extraem o máximo de canabinoides e terpenos das plantas, enquanto protegem os seus pulmões dos danos ocasionados pela fumaça.

Em outras palavras: você fica mais chapado e desfruta de um sabor mais puro e concentrado. Em versões cada vez mais discretas, os vapes também facilitam a vida dos canabistas, permitindo o transporte e uso nas mais diversas ocasiões.

2- Comer

O ato de comer maconha pode até parecer muito intuitivo, mas não é. Para obter todo o potencial terapêutico e psicoativo da erva, não basta ingeri-la in natura. Antes, é preciso ativar os canabinoides através do calor, por meio do chamado processo de descarboxilação, que inclui o aquecimento da planta por um certo tempo e temperatura. Pode até parecer meio difícil à primeira vista, mas na verdade os procedimentos são bastante simples e fáceis de executar. Clique aqui para aprender a fazer uma receita super simples de chá verde com maconha.

Vale lembrar que os comestíveis de maconha podem causar efeitos muito diferentes (e mais duradouros) da maconha fumada ou vaporizada. O processo digestivo é lento e varia de organismo para organismo, podendo demorar até duas horas para “bater”. Sendo assim, atente-se à dosagem e teste sua tolerância aos poucos, aguardando sempre não menos de 1h até comer a próxima dose.

3- Óleos e cápsulas

Outra forma de ingerir cannabis via oral é através do consumo óleos ricos em canabinoides, que podem ser consumidos tanto diretamente como em cápsulas ou adicionados a alimentos e bebidas.

Assim como ocorre com os comestíveis, é preciso atenção com a dosagem, pois os óleos podem induzir efeitos potentes que levam mais tempo para se manifestarem.

4- Tinturas

As tinturas são extratos alcoólicos extraídos de plantas e ervas diversas, a exemplo da maconha, que podem ser manipulados facilmente em casa.

Aplicadas diretamente sob a língua, as tinturas de cannabis entram diretamente na corrente sanguínea, causando efeitos mais imediatos e facilitando o controle da dose.

5- Tópicos

A maconha também pode ser utilizada através da via tópica, ou seja, por meio de cremes, pomadas, loções e até mesmo lubrificantes íntimos aplicados diretamente na pele.

Não por acaso, o mercado está repleto de lubrificantes feitos à base da erva, além de diversos adesivos que permitem a administração epidérmica da cannabis com excelentes resultados no alívio de dores e inflamações localizadas.

6- Supositórios

Sim, é isso mesmo que você leu: o uso retal da cannabis não só é possível, como é muito eficiente e indicado para diversos pacientes. Clique aqui para saber tudo sobre supositórios de maconha.

[gdlr_stunning_text background_color=”#f3f3f3″ button=”VAPORIZE JÁ” button_link=”https://arizer.com/” button_background=”#94d64f” button_text_color=”#ffffff” button_border_color=”#6fac2f” title=”Intensifique a sua chapação” title_color=”#94d64f” caption_color=”#a0a0a0″]Os vapes mais insanos do mercado estão aqui! [/gdlr_stunning_text]

 

Inscreva-se em nossa newsletter

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novidades diretamente em seu e-mail

Você se inscreveu com sucesso

Inscreva-se em nossa newsletter

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novidades diretamente em seu e-mail

Você se inscreveu com sucesso