CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > CIÊNCIA > Cientistas americanos criam bafômetro capaz de reconhecer uso de maconha

Cientistas americanos criam bafômetro capaz de reconhecer uso de maconha


Protótipo do bafômetro de maconha foi produzido por uma equipe do departamento de química da Escola de Engenharia de Swanson, nos Estados Unidos.

Segundo reportagem do site Phys.org, o bafômetro é capaz de identificar o consumo de maconha através da medição das quantidades de tetraidrocanabinol (THC) na respiração.

Em fase de protótipo, o dispositivo ainda não tem previsão para ser utilizado nas ruas – para o alívio dos maconheiros!

Segundo Sean Hwang, autor do estudo, a criação do bafômetro de maconha deve-se à descoberta dos semicondutores de nanotubo de carbono, que são 100 mil vezes mais finos que um cabelo humano. As moléculas de THC, juntamente com outras moléculas na respiração, ligam-se à superfície dos nanotubos e alteram suas propriedades elétricas.

“Ensinamos o bafômetro a reconhecer a presença do THC com base no tempo de recuperação das correntes elétricas, mesmo quando há a presença substâncias como o álcool”, explicou o Hwang.

Bafômetros de maconha

Embora seja o mais recente protótipo do mercado, o bafômetro de maconha apresentado pelos norte-americanos não chega a ser uma novidade. Em 2015, uma empresa canadense ganhou fama ao lançar o primeiro dispositivo do tipo.

Até mesmo o Brasil, que sequer dá conta de tapar buracos na maioria de suas estradas, recentemente cogitou adquirir os tais bafômetros.

Que tal turbinar a sua mente?

O conteúdo deste site foi criado por mentes turbinadas com café (Mary4:20)! 

SAIBA MAIS

 

You may also like
Ícone da ciência canábica, Elisaldo Carlini morre aos 91 anos
Toxicológico: estudo revela que THC permanece no sangue por longos períodos
Brasileira lança incubadora e concurso para projetos canábicos inovadores
Extratos de maconha são eficazes no tratamento do câncer, aponta estudo

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.