CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > ESTILO DE VIDA > GENTE > Morre Dr. Lester Grinspoon, lendário defensor da legalização da cannabis

Morre Dr. Lester Grinspoon, lendário defensor da legalização da cannabis


Psiquiatra, cientista, educador e ativista, o norte-americano Lester Grinspoon morreu aos 92 anos no último dia 25 de junho.

Lendário defensor da legalização da cannabis, Dr. Lester Grinspoon foi uma figura imponente no movimento de desmistificação e legalização da maconha, seja para fins terapêuticos ou lúdicos.

Seu livro – Marijuana Reconsidered (1971) – é considerado um trabalho fundamental sobre a segurança e a eficácia da erva, conforme aponta matéria do Leafly.

Dr. Lester Grinspoon dedicou décadas de sua vida ao ativismo canábico, participando de diversas audiências e debates para expor seus conhecimentos científicos, além de fazer parte do conselho consultivo da NORML.

Foi o seu filho – Peter Grinspoon – que também é médico e defensor da legalização da maconha, quem anunciou a morte do pai na manhã do dia 25/6 em postagem no Twitter:

Amizade com Carl Sagan 

O interesse inicial do Dr. Grinspoon pela maconha surgiu em 1967, ano em que ele se esforçou para pesquisar o assunto com o objetivo de convencer seu melhor amigo – o astrônomo Carl Sagan – a parar de consumir tanto a erva.

Na época, Grinspoon era professor associado de psiquiatria na Harvard Medical School, enquanto Sagan era uma jovem estrela em ascensão entre os professores de Harvard.

Vale lembrar que, antes de se tornar uma celebridade – astrônomo de renome internacional, autor de best-sellers e apresentador da popular série de televisão Cosmos – Sagan era apenas mais um professor de esquerda que curtia consumir maconha com frequência e entusiasmo.

Disposto a encontrar argumentos anti-maconha para convencer seu amigo a reduzir o consumo, Dr. Grinspoon deparou-se com informações que mudariam de vez o seu modo de pensar sobre a planta.

Bastaram poucas pesquisas para que o médico descobrisse que não existiam evidências científicas que justificassem a proibição da planta.

Assim, durante os próximos quatro anos, ele pesquisou intensamente o assunto até publicar “Marihuana Reconsidered, verdadeiro best-seller que detalha uma campanha de propaganda governamental de décadas, empreendida para manter a maconha ilegal a todo custo.

Em 1971, quando a obra foi publicada, somente 15% dos americanos apoiavam a legalização.

Polêmica com Nixon

O livro chamou a atenção do então presidente Richard Nixon, cujos comentários preconceituosos anti-semitas sobre a maconha foram registrados.

“Todos os bastardos que são a favor da legalização da maconha são judeus”, proferiu Nixon, furioso após ler uma resenha sobre a Marihuana Reconsidered em seu resumo diário de notícias.

Outras contribuições de Dr. Grinspoon

Quando Danny, um dos filhos de Dr. Grinspoon, foi diagnosticado com leucemia, o médico decidiu oferecer cannabis ao filho durante a quimioterapia.

O caso culminou em uma pesquisa pioneira, publicada em 1975 no New England Journal of Medicine, atestando a eficácia dos canabinoides como complemento ao tratamento oncológico, na medida em que ameniza enjoos, náuseas e vômitos.

Em 1993, o médico e ativista publicou outro livro – Marijuana: The Forbidden Medicine – no qual defende que a maconha é a substância terapêutica mais segura e útil conhecida pelo homem.

Três anos depois, a Califórnia aprovou a Prop 215, tornando-se o primeiro estado americano a legalizar o uso terapêutico da planta.

*Junte-se à roda do Maryjuana no Telegram e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

You may also like
“Comigo não tem liberação de droga nem plantio”, diz Bolsonaro sobre maconha
Momento Poesia Canábica: Beto e Larica
Israel abre caminho para a legalização da cannabis
Eterno herói da cannabis, Jack Herer completaria 81 anos hoje

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.