CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > CULTURA > HISTÓRIA > Levantamento arqueológico aponta as origens do uso de maconha

Levantamento arqueológico aponta as origens do uso de maconha


O consumo de maconha é quase tão antigo quanto a raça humana. Segundo um recente levantamento da revista New Scientist, a erva já era utilizada desde da Idade da Pedra.

Considerada uma das plantas mais antigas da história, a cannabis cresce rapidamente e se adapta à maioria dos solos e climas existentes no planeta.

O estudo destaca ainda as propriedades industriais e medicinais da erva, que há séculos é utilizada para a produção de corda, papel e tecidos. Na Índia, por exemplo, a maconha é usada como remédio desde 5.000 a.C.

Origens do uso recreativo

Ao que tudo indica, houve uma intensificação do uso de cannabis em toda Ásia Oriental na mesma época, além de registros de ascensão do comércio transnacional da erva no início da Idade do Bronze.

O uso recreativo de maconha foi provavelmente difundido pela tribo Yamnaya, da Eurásia Central, considerada uma das três tribos principais que fundaram a civilização europeia.

Arqueologia canábica

“Pólen, frutos e fibras de cannabis já foram localizados em escavações arqueológicas da Eurásia durante as últimas décadas”, destacam os pesquisadores Tengwen Long e Pavel Tarasov, da Universidade Free de Berlin, na Alemanha.

A suposição mais comum é de que a cannabis foi usada pela primeira vez – e, possivelmente, domesticada – na China ou Ásia Central.

Mas também há estudos mais recentes sugerindo que a erva entrou no registro arqueológico do Japão e da Europa Oriental quase ao mesmo tempo, ou seja, há cerca de 11.500 e 10.200 anos atrás.

“A cannabis parece ter sido amplamente distribuída a partir de 10.000 anos atrás, ou até antes”, ressaltou Long.

Saiba mais no vídeo a seguir: