CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > ESTILO DE VIDA > GENTE > 5 mulheres fundamentais na história da maconha

5 mulheres fundamentais na história da maconha


E já que hoje (08/03) é comemorado o Dia Internacional da Mulher, que tal conhecer cinco mulheres fundamentais na história da maconha?

Com diferentes idades e origens, elas possuem em comum a missão de defender a cannabis por onde quer que passem, fazendo a diferença para a legalização em seus países – e no mundo.

Muito além de simples maconheiras, as cinco mulheres abaixo são exemplos a serem seguidos por qualquer pessoa que luta por uma sociedade mais justa e menos hipócrita. Inspire-se!

1)Mila Jansen

mila

Mais conhecida como “Hash Queen” – ou Rainha do Haxixe – a holandesa Mila Jansen é inventora de uma série de técnicas e equipamentos para extração de hash, incluindo a famosa metodologia iceolator (ou ice hash/bubble hash).

Suas inovações são compartilhadas através da marca Pollinator Company, sediada em Amsterdã.

2) Cheryl Shuman

Cheryl_Shuman2

Luxo e poder definem a norte-americana Cheryl Shuman, que costuma se auto-intitular a “Martha Stewart da maconha”.

Mas nem só de glamour & champanhe é feita a vida da ativista que, após utilizar a cannabis durante o tratamento de câncer no ovário, decidiu entrar para a luta e fundar duas entidades voltadas à defesa dos usuários de maconha: o Beverly Hills Cannabis Club” e o “Marijuana Moms”, ambas muito importantes para quebrar estereótipos e colocar a erva na pauta dos principais veículos de comunicação do mundo.

3) Ana Maria Gazmuri

foto_0000006820150407155121

Usuária de cannabis medicinal por conta de problemas digestivos, a atriz chilena Ana Maria Gazmuri decidiu arregaçar as mangas e lutar pelo direito de plantar erva no seu país de origem.

Através da Fundação Daya, em 2015 ela colheu a primeira safra de maconha plantada legalmente no Chile.

4) Laura Blanco

laurablanco

Ativista, cultivadora e maconheira das mais devotas, a uruguaia Laura Blanco é uma das peças-chave por trás do processo de legalização em nosso país vizinho.

À frente da Associação de Estudos da Cannabis do Uruguai (AECU), ela também é co-fundadora do coletivo de jardinagem PlantaTuPlanta. Em 2012, atuou como conselheira da Junta Nacional de Drogas na redação do projeto de lei que regulamentou a maconha e seus derivados.

5) Paige Figi

PaigeFigi-768

Foi em busca de tratamento para sua filha que a norte-americana Paige Figi transformou-se numa das principais porta-vozes sobre cannabis medicinal no mundo.

Depois de tentar inúmeros medicamentos, apenas a erva foi capaz de aliviar as severas convulsões que afligiam a pequena Charlotte. O caso motivou até mesmo a criação de uma strain com baixo teor de THC específica para crianças, batizada com o nome da menina.

*Junte-se à roda do Maryjuana no Telegram.

Que tal turbinar a sua mente?

O conteúdo deste site foi criado por mentes turbinadas com café (Mary4:20)! 

SAIBA MAIS

You may also like
Pioneira na luta pelo uso medicinal da maconha, Charlotte Figi morre de coronavírus
Morre o lendário breeder norte-americano Subcool
Uso psicoativo da maconha é identificado em ritual chinês de 2,5 mil anos atrás
Cruzeta (RN): a pequena cidade brasileira que tinha maconha plantada nas ruas

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.