CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > MUNDO > Após legalização da maconha, Uruguai reduz em 18% crimes envolvendo narcóticos

Após legalização da maconha, Uruguai reduz em 18% crimes envolvendo narcóticos


Quem ainda duvida que legalizar a maconha só traz benefícios deve atentar para as notícias que chegam do Uruguai.

Quatro anos após aprovar a legalização da cannabis, nosso pequeno país vizinho reduziu em 18% os crimes relacionados ao narcotráfico, segundo reportagem publicada no jornal Folha de São Paulo

Além da venda em farmácias, a lei prevê mais duas formas de acesso à erva: cultivo caseiro de até seis plantas e clubes de cultivo (que podem ter de 15 a 45 membros).

Em todos os casos, para participar os usuários devem ser registrados, ter mais de 18 anos e possuir nacionalidade uruguaia ou residência permanente no país.

Mas nem tudo são flores para quem ousa legalizar…

Entre os problemas que surgiram após a legalização da maconha, alguns problemas muito específicos surgiram, a exemplo da recusa dos bancos estrangeiros em manter contas de farmácias ligadas à cannabis e clubes canábicos. Alguns ameaçaram cancelá-las. Como consequência, o governo enviou uma comissão aos Estados Unidos para debater caso a caso.

Existe também uma certa pressão no país vizinho com a expectativa de fazer o governo liberar a venda de maconha para turistas.

“Passamos a ideia de país vanguardista, e o estrangeiro chega aqui e não pode comprar? Está errado, pois de algum modo ele chegará ao produto, via mercado ilegal, que era justamente o que se queria combater”, diz Eduardo Blasina, diretor do Museu da Cannabis de Montevidéu, segundo relato da Folha.

Clique aqui para saber mais sobre cannabis + Uruguai.

*Foto: Foto: AP Photo

You may also like
Farmácias do Uruguai contabilizam mais de 25 mil compradores de maconha
Erva-mate com maconha chega aos supermercados uruguaios nesta semana
Movimento pela liberação da maconha cresce no Chile
No Uruguai, mais da metade dos consumidores usa maconha legal

Leave a Reply