CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > SAÚDE > 7 tipos de maconha para combater a TPM

7 tipos de maconha para combater a TPM

/

Irritação, estresse, depressão, apetite descontrolado, náuseas, dores de cabeça e cólicas tão fortes que não te deixam sair da cama. Só quem é mulher conhece os transtornos vividos mensalmente antes e durante a menstruação.

Mas o que poucas meninas sabem é que a maconha pode ser uma santo remédio para aliviar os desagradáveis sintomas da tensão pré-menstrual (TPM). É claro que não se trata de qualquer maconha – muito menos do prensado fedorento que circula no Brasil – mas sim de cepas repletas de propriedades medicinais, a exemplo das que você confere a seguir.

Como a TPM é composta por esse conjunto de sintomas bizarros citados no primeiro parágrafo, as strains selecionadas incluem indicas, sativas e híbridas, que permitem tratar desde a melancolia pré-menstrual até as fortes cólicas que assolam algumas mulheres.

Ainda dominado por homens, o universo das pesquisas e experimentos científicos com cannabis ainda é pobre quando se trata de informações sobre algo tão feminino quanto os perrengues associados à menstruação. Historicamente falando, há registros de que – por volta do ano 1.800 – a maconha costumava ser utilizada para aliviar cólicas menstruais.

O que resta, portanto, são relatos e experimentos pessoais. E já que estamos no primeiro e único site de maconha editado por uma mulher no Brasil, eis aqui a minha experiência: desde a adolescência sofro com sintomas intensos da TPM, incluindo fortes cólicas que, literalmente, me derrubam. Sempre utilizei maconha de forma recreativa e sinto que a erva ajuda, sim, a aliviar o estresse e a depressão que costumam rolar antes da menstruação.

No entanto, até hoje não houve haxixe, flor, concentrado ou tintura – indica, sativa ou híbrida – capazes de aplacar a dor aguda da cólica menstrual. Para essa, só mesmo uma boa dose de anti-inflamatório. Mas, é claro, nestes momentos a erva também ajuda a tirar o foco da dor e reverter possíveis efeitos colaterais do medicamento, como dor de estômago ou náuseas. Mas tenho amigas que relatam diminuição das cólicas apenas com o uso de cannabis. E você: já utilizou maconha para tratar a TPM? Conte sua experiência nos comentários!

Pensando nisso tudo, selecionei sete tipos de maconha capazes de amenizar o inferno causado pela TPM em nossas vidas. Todas devidamente testadas – e aprovadas – por mim. Ou seja: la garantia soy yo! 😀

Então providencie seu clone ou semente, prepare o substrato e plante o bem-estar!

1) BLUE DREAM

24-chief-blue-dream

Cruza de Blueberry (indica) com Haze (sativa), esta strain híbrida criada pela Humboldt Seed Organization, da Califórnia, é uma boa opção para ser consumida nos dias que antecedem a menstruação, ajudando a aliviar o estresse e as dores de cabeça típicos da TPM. De predominância sativa, também possui efeitos energéticos que ajudam a dar um chega pra lá na melancolia. Ideal para ser fumada durante o dia, naqueles momentos em que não se deseja chapar demais.

2) KALI MIST

kalii

Outra boa opção para as mulheres que precisam relaxar, mas não podem se dar ao luxo de passar a tarde chapadas no sofá curtindo a brisa, é a Kali Mist, da Serious Seeds. Também chamada de “Rainha das Sativas”, a strain é famosa pelos efeitos energéticos e eufóricos capazes de mandar pra bem longe o inevitável mau-humor que surge na TPM. Além disso, os altos índices de THC – acima de 15% -também combatem as náuseas e cólicas.

3) LAMB’S BREAD

Lambs Bread Sativa 9

Também chamada de “Lamb’s Breath”, trata-se de uma sativa de origem jamaica. Há, inclusive, boatos de que esta seria uma das strains favoritas de Bob Marley. Rica em THC (entre 19% e 25%), produz efeitos energéticos e criativos ideais para combater sintomas como depressão, irritabilidade e fadiga. Para completar, esta resinada cepa é rica em tetrahidrocannabivarin (THCV), canabinoide que possui a propriedade de suprimir o apetite – o que é muito útil para conter os ataques de fúria à geladeira tão comuns na TPM.

4) KOSHER KUSH

KosherKush_002-700x450

Criação da DNA’s Reserva Privada, da Califórnia, a Kosher Kush consiste numa indica potente e resinada, capaz de promover relaxamento profundo e analgesia, auxiliando no tratamento de cólicas, insônia e dor de cabeça. Ideal para ser consumida junto com o combo xícara de chá + cobertor + bolsa de água quente.

5) WONDER WOMAN

wondeww

Com equilíbrio genético de aproximadamente de 50%-50%, esta híbrida pode originar plantas de predominância sativa ou indica. Trata-se de mais uma strain eficaz no combate ao estresse, dores e insônia. As flores exalam aquele tradicional cheiro de skunk com notas frutadas que ajudam a perfumar o ambiente enquanto relaxam o corpo e a mente.

6) VANILLA KUSH

vanilla

Vencedora da High Times Cannabis Cup Amsterdã 2009, a Vanilla Kush é resultado da cruza de genéticas vindas da Índia e Afeganistão. Segundo os criadores da Barney’s Farm, de Amsterdã, ela consiste em 80% indica e 20% sativa, o que lhe permite combater o estresse, cólicas, irritabilidade e insônia sem causar muita sonolência. O teor de THC é alto – em média 15%, mas pode atingir os 22% – ou seja: se você é uma maconheira inexperiente, vá com calma ou corre o risco de chapar além da conta.

7) ACAPULCO GOLD

Acapulco

Esta landrace de origem mexicana possui predominância sativa e é conhecida pelas altas quantidades de THC, que podem atingir até 23%. Muito eficaz no combate à depressão e melancolia que antecedem o período menstrual, a Acapulco Gold pode fazer maravilhas pelo seu humor e, de quebra, garante aquela disposição necessária para cumprir as tarefas do dia-a-dia.

*Fotos: CannabisSearch.com, Seed Finder, IE420Patients, Parc DispensaryDoctors Orders Co-Op

You may also like
Pesquisa sugere pouca diversidade entre strains canábicas
6 tipos de maconha para curtir no Ano Novo
GKUA: conheça os produtos da nova marca canábica de Lil Wayne
5 strains para vaporizar no Carnaval

5 Responses

  1. Cris

    Poder acessar um site liderado por mulher e organizando conteúdo sobre o cannabis é maravilhoso e esperançoso. Bom quero compartilhar minha experiência com cannabis e a TPM.
    Desde a primeira menstruação eu sofri com cólicas absurdamente fortes, além das dores abdominais que se estendia pelas costas, pernas até mesmo os grandes lábios minha vida era um inferno isso aos 12 anos de idade.
    Depois dos 18 com a vida sexual ativa, ainda sofria com cólicas e percebia mais claramente outros sintomas da TPM, sobretudo os que afetavam meu psicólogico aderir o anticoncepcional tanto pra evitar a grafia como amenizar alguns sintomas como as dores nos seios e as cólicas, os efeitos colaterais do anticoncepcional somado aos da TPM ficaram muito mais difíceis de controlar e portanto abandonei o uso. Há mais ou menos 3 anos eu faço uso da cannabis recreativa e de lá pra cá eu não sinto cólicas fortes, alguns desconfortos como se fosse um recado da menstruação “cheguei, mana coloca o coletor menstrual”. Como não utilizo nenhum tipo de remédio no período pré menstrual, a redução das cólicas, dores nas costas, pernas seios… Não posso deixar de acreditar que tenha sido resultados do uso da cannabis.

  2. Fáu

    Eu amei seu post se poder entra em contato comigo por favor entre. Sofro muito de cólica e talvez isso me ajude bastante.

  3. Ju

    Muito legal o seu depoimento! Eu ando lendo algumas coisas sobre a maconha e TPM (sofro muito desse mal) e bateu uma vontade imensa de fazer meu doutorado com esse tema. Mas, aqui no Brasil é algo impossível… é triste isso. Tantas boas pesquisas poderiam surgir com a maconha, tanta vidas poderiam ser melhoradas… enquanto isso temos que nos conformar com tarja preta, principalmente anti-depressivos que possuem efeitos infinitamente mais devastadores! A quimioterapia então… nem se fala, no caso do câncer.
    Espero muito que essa realidade mude e logo!
    Abraços!

  4. juh

    Hoje em dia minha relação com a nossa amada mudou muito: fico meio depressiva quando fumo sozinha e meio paranóica quando fumo com pessoal em lugar com muita gente. BUT, quando estou com a maldita cólica, que é forte mesmo, difícil passar com remédio, dou uns pegas. É a única coisa que me salva.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.