CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > MUNDO > Estudo mostra que drogas estão mais puras na Europa

Estudo mostra que drogas estão mais puras na Europa

/

O mercado das drogas na Europa está em evolução, aponta um relatório divulgado nesta quarta-feira (4/6) pelo Observatório Europeu de Drogas e Toxicomania (OEDT). De acordo com o estudo, as substâncias estão cada vez mais puras, há novas drogas sintéticas em circulação, o consumo de maconha está em franco crescimento e o tráfico de heroína, embora tenha se retraído, tem criado rotas alternativas. Um quarto dos europeus (80 milhões de pessoas) já experimentou drogas ilícitas.

O relatório aponta uma “alta sensível” na qualidade de todas as drogas: do aumento da quantidade de princípio ativo (THC na maconha ou MDMA no ecstasy) à pureza da cocaína e da heroína, uma consequência da inovação técnica e do fortalecimento da competitividade no mercado de entorpecentes.

Manufatura de maconha

Um exemplo é a produção da cannabis, que tem se intesificado por todo o continente, sobretudo por conta dos pequenos produtores, cujo interesse maior é a qualidade e não a quantidade. Eles geram sementes melhores, que entram no mercado atacadista por meio de redes mafiosas.

A maconha ainda é a droga mais consumida na União Europeia.

O resultado deste movimento foi que, em cinco anos, a quantidade de THC da maconha fumada na Europa dobrou. A do haxixe, que é a resina da cannabis, dobrou em uma década, também como consequência dessa rede: o tráfico adquire as sementes na Europa, exporta para o Marrocos, onde a drogra é processada, e importa o haxixe manufaturado.

O uso cresceu principalmente na França, Bulgária e nos países nórdicos, não só para fins recreativos, mas medicinais também. A erva representa mais de 80% das apreensões de drogas no bloco. Mais de 60% das infrações ligadas a entorpecentes na Europa estão relacionadas a posse ou consumo de maconha.

Outros caminhos para a heroína

Ainda que seja responsável por grande parte das mortes por overdose e conte 1,3 milhão de dependentes, a heroína está em baixa no continente, bem como as apreensões. O observatório destaca, porém, um aumento na produção afegã de ópio (matéria-prima da heroína), o que pode levar ao crescimento da disponibilidade em breve. Essa perspectiva se agrava pela descoberta de novas usinas de fabricação de heroína na Espanha.

Embora o principal caminho de entrada da droga continue sendo os Balcãs, tem crescido o tráfico pela chamada “rota do sul”, que parte do Irã e do Paquistão e chega à Europa pelos países da Península Arábica ou da África. A mudança no caminho da droga também altera os produtos importados (morfina, ópio, drogas sintéticas), bem como a ação dos traficantes. Eles trocam de meios de transporte não só em função das vias, mas também de acordo com o aparato repressivo dos países e a instabilidade política.

Novas drogas

Entre os estimulantes, a cocaína é o produto mais consumido, à frente das anfetaminas, do ecstasy e de um grande número de novas drogas sintéticas. Entre elas, estão as cada vez mais comuns NSPs (Novas Substâncias Psicotrópicas), vendidas como euforizantes legais, mas que, gradualmente, substituem drogas ilícitas. Embora a maioria seja importada, alguns laboratórios europeus estão começando a produzir esse tipo de substância.

Além de estarem mais concentradas e puras, as drogas sintéticas têm sido consumidas de novas formas. O mais preocupante entre os novos hábitos é o chamado “slam” – injeção de metanfetamina com outros estimulantes. O relatório também chama a atenção para consumo exagerado do THC, além da overdose causada pela mistura de psicotrópicos e opiáceos.

*Fonte: RFI

You may also like
Estudo aponta que maconha reduz a dor, mas piora o autocuidado
Clubes canábicos de Barcelona correm risco de fechar após revés judicial
Deputado francês leva baseado ao Parlamento durante debate sobre legalização da maconha
Brasil tem sua primeira empresa de inovação em medicina psicodélica

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.