CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > SAÚDE > Estudo aponta que maconha reduz a dor, mas piora o autocuidado

Estudo aponta que maconha reduz a dor, mas piora o autocuidado

/

Novo estudo sugere que o uso de maconha reduz a dor, mas piora significativamente o autocuidado dos pacientes – uma categoria ampla que inclui fatores como motivação, prática de atividade física e cuidados com a aparência.

Publicado recentemente na revista Medical Cannabis and Cannabinoids, o estudo envolveu 181 pacientes com dor inscritos no programa de cannabis medicinal do estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Todos os participantes fizeram uso da erva por oito semanas e passaram por testes periódicos para avaliar os efeitos.

Os resultados são controversos. Embora os pacientes relatem melhoras significativas na qualidade de vida – com a redução de dores e ansiedade – parece haver um certo declínio no autocuidado.

“Percebe-se que as melhorias nas dimensões de dor e ansiedade são amenizadas por um declínio na área do autocuidado. Isso é importante porque o perfil de efeitos colaterais da cannabis pode estar diminuindo a melhoria na qualidade de vida”, escreveu o autor principal do estudo, Andrew Peterson, PharmD, da Universidade de Ciências da Filadélfia.

“Uma revisão da literatura não encontrou nenhuma outra pesquisa conectando o uso de maconha com declínios no autocuidado em pacientes com dor que usam cannabis medicinal.”

THC e autocuidado

O estudo não analisou as doses utilizadas pelos participantes, mas como todos os produtos do programa de maconha medicinal da Pensilvânia contêm algum nível de tetrahidrocanabinol (THC) – a substância psicoativa da maconha – os pesquisadores sugerem que pode haver uma conexão.

“Existem muitas fontes que descrevem as consequências negativas da maconha”, escreveu Peterson. “Visto que nosso estudo encontrou um declínio no autocuidado entre pacientes com dor que usam maconha medicinal, seria interessante aprender quais aspectos do autocuidado mudam ao usar cannabis para a dor.”

Dessa forma, o autor reforça a necessidade de mais estudos que analisem se há relação entre o THC, o autocuidado e a qualidade de vida.

Segundo o National Institute on Drug Abuse, algumas das consequências negativas do uso da cannabis incluem mudanças no humor, dificuldade de pensar e resolver problemas, memória prejudicada e uma noção alterada do tempo.

Clique aqui para conferir o estudo na íntegra.

**Junte-se à roda do Maryjuana no Telegram.
You may also like
Colômbia autoriza uso industrial da maconha e sua exportação com fins terapêuticos
Estudo: extrato de cânhamo promove perda de peso
78% dos brasileiros são favoráveis ao uso terapêutico da maconha
Empresa colombiana contrata mães solteiras para a produção de maconha

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.