CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > SAÚDE > Estudo: usuários de psicodélicos sofreram menos estresse na pandemia

Estudo: usuários de psicodélicos sofreram menos estresse na pandemia

Usuários de psicodélicos experimentaram menos estresse psicológico durante os períodos de confinamento impostos pela pandemia de covid-19, conclui estudo.

Diversos levantamentos mostram que, embora sejam eficazes em limitar a disseminação do coronavírus, os períodos de lockdown tiveram um impacto dramático no nível de estresse psicológico, resultando no aumento de casos de ansiedade e depressão em todo o mundo .

Dados do US Census Bureau apontam que, em dezembro de 2020, 42% das pessoas relataram sintomas de ansiedade ou depressão – quase quatro vezes os 11% relatados durante o mesmo período de 2019.

Com base no que se conhece sobre psicodélicos e seu potencial como tratamento para depressão, ansiedade e transtorno de estresse pós-traumáticos, os autores de um estudo publicado recentemente  estavam curiosos para saber como o uso de substâncias psicodélicas afetou a saúde mental durante a primeira fase de lockdowns rígidos, de abril a julho de 2020.

Pesquisa incluiu participantes de todo o mundo

Para coletar os dados, pesquisadores de instituições e organizações na Holanda, Espanha e Brasil coletaram informações de 2974 participantes.

As respostas foram enviadas online. A maioria dos participantes era da Espanha, Brasil e Estados Unidos, compreendendo três coortes diferentes: 606 eram usuários ocasionais de psicodélicos, 497 eram usuários regulares e 1.968 nunca haviam usado psicodélicos.

Cada entrevistado completou uma série de questionários sobre sofrimento psicológico, suporte social percebido, sintomas de estresse pós-traumático, estado psicológico e medidas de personalidade.

Eles também responderam a perguntas sobre as drogas psicodélicas que usaram antes e durante o bloqueio (MDMA, ayahuascapsilocibina, LSD, peiote, San Pedro, 5-MeO-DMT) e em quais ambientesas substâncias foram usadas.

O questionário incluiu ainda outras perguntas diversas sobre o impacto da covid-19 em suas rotinas e como o lockdown afetou o estilo de vida e a dieta alimentar.

Uso vitalício associado a menos sofrimento psicológico

Entre os participantes que usaram psicodélicos, metade declarou que o uso anterior teve um impacto positivo significativo em sua capacidade de lidar com os lockdowns, enquanto 16% disseram que teve um impacto pequeno e 35% disseram que não fez diferença.

Impactos significativos maiores foram relatados entre aqueles que usaram psicodélicos regularmente do que aqueles que os usaram com pouca frequência.

Embora as pessoas que usaram psicodélicos tenham relatado passar por menos estresse durante o confinamento, elas também foram menos propensas a aderir às orientações de saúde pública que aconselham o uso de máscaras ou luvas.

Quase um quinto dos entrevistados perdeu seus empregos e quase metade enfrentou uma redução em sua renda. Também é importante notar que, ao contrário dos entrevistados na Espanha ou nos Estados Unidos, os do Brasil não estavam sob regras rígidas de bloqueio.

Os usuários de psicodélicos relataram que passam mais tempo ao ar livre e têm mais acesso a espaços externos.

Os usuários regulares relataram se envolver mais com música, yoga, pilates e meditação, enquanto os não usuários passam mais tempo fazendo exercícios aeróbicos, assistindo notícias, TV e filmes relacionados à Covid e jogando videogame. 

Traços de personalidade desempenham um papel

Com base nos dados coletados, o uso de psicodélicos ao longo da vida foi associado a menos estresse psicológico durante o confinamento imposto pela pandemia.

As medições de traços de personalidade fornecem aos resultados algum contexto adicional. Em testes de personalidade, as pessoas que usaram psicodélicos pontuaram mais alto nas escalas para busca de novidades e autotranscendência, e mais baixo para cooperatividade.

Os autores escrevem que há várias coisas a se considerar antes de assumir que os psicodélicos são inteiramente responsáveis ​​por níveis mais baixos de estresse durante o confinamento, incluindo melhores medidas de saúde mental entre os usuários, como mais tempo gasto ao ar livre e hábitos saudáveis, além de uma boa dieta e menos tempo assistindo notícias relacionádas à covid-19.

Embora apresente uma boa amostragem, a pesquisa de forma alguma reflete a totalidade do impacto da pandemia e tem algumas limitações.

Por exemplo, enquanto os entrevistados responderam a perguntas sobre sua situação de vida, o impacto de morar sozinho não foi avaliado.

Não está claro se o uso de drogas psicodélicas é em si “um fator de proteção” contra o estresse psicológico ou se pessoas com certos traços de personalidade são mais propensas ao uso de psicodélicos.

*Fonte: Forbes

**Tradução e revisão: Equipe Maryjuana

***Junte-se à roda do Maryjuana no Telegram.

 

You may also like
Vacinação dispara no Canadá com exigência de comprovante para comprar maconha
Estudo: 15% dos trabalhadores usam maconha no home office
Estudo: extrato de cânhamo promove perda de peso
Brasil tem sua primeira empresa de inovação em medicina psicodélica

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.