CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > EVENTOS > NACIONAIS > Saiba como foi a Marcha da Maconha Florianópolis 2015

Saiba como foi a Marcha da Maconha Florianópolis 2015

/

Em sua oitava edição, a Marcha da Maconha Florianópolis 2015 foi a mais vazia – porém, não menos animada – que já se viu na capital catarinense. Triste dizer isso, considerando-se a população total de mais de 400 mil pessoas, dentre elas milhares de maconheiros facilmente encontrados durante qualquer rolê pelas ruas e praias da cidade.

Mas, dessa vez, mesmo sem chuva e com um lindo entardecer de outono, pouco mais de 300 cabeças compareceram ao evento, que aconteceu na Avenida Beiramar Norte.

11357323_10206146363165779_4667506293439567128_o

Antes da marcha iniciar seu percurso, Lucas Lichy, presidente do Instituto da Cannabis e organizador do evento, mencionou a importância de se posicionar contra a guerra às drogas – sejam usuários ou não.

1425341_10206146310444461_1460046473910743926_o

Galera reunida no trapiche da Avenida Beiramar Norte, ponto de partida para a Marcha da Maconha Florianópolis desde 2008, quando ocorreu a primeira edição do evento na cidade.

marchafln2

Durante a concentração rolou também a manufatura do tradicional “baseadão”.

11201126_10206146289683942_3956547456240488280_o

Apesar da boa intenção e do empenho da galera, não vamos negar: o “baseadão” estava mais pra “pastelzão”. 😀

marchafln4

Apesar do belo e agradável fim de tarde de outono, a Marcha da Maconha Florianópolis 2015 reuniu menos pessoas do que as duas edições anteriores, quando choveu. Será que a Ilha da Magia está ficando careta? Ou os maconheiros locais são muito preguiçosos e/ou enrustidos?

11270217_10206146355645591_2618517160756830764_o

Ainda resta esperança! Enquanto muito adulto covarde prefere se enrustir – e ainda ostenta um certo “orgulho” em dizer que não participa desse tipo de manifestação, mas também não faz nada para ajudar além de fumar prensado escondido – a nova & linda geração fez questão de marcar presença! Parabéns aos pais bem-resolvidos que desde cedo educam seus filhos contra a hipocrisia.

11334171_10206146398086652_5293934760199161711_o

Praticamente sem polícia na área – exceto por dois simpáticos agentes da Polícia Militar que não criaram nenhum problema – os manifestantes seguiram animados & enfumaçados pelo calçadão da Avenida Beiramar Norte.

10258583_10206146534090052_7766648957740077550_o

Na metade do caminho, manifestantes deitaram-se no chão e fizeram 1 minuto de silêncio em honra aos mortos na guerra às drogas.

11050672_10206146550050451_7926741229757510485_o

Um dos momentos mais lindos da Marcha da Maconha de Floripa foi o acender do “baseadão” – ou “pastelzão”. Provando que a união faz a força, vários maconheiros cederam seus isqueiros para ajudar a carburar o beque gigante em frente ao Hotel Majestic, um dos ícones da burguesia local.

11270572_10206146462288257_6182106580112379544_o

Enquanto a marcha passava, infelizmente alguns maconheiros se contentaram em apenas observar ao invés de se juntarem à massa.

1980023_10206146654013050_1216351300990762437_o

Ao final, foi impossível evitar o sentimento de frustração expressado por um dos gritos de guerra entoado pelos presentes: “Ah, mas que vergonha/Nem cem pessoas/ Na Marcha da Maconha”. Sim, desta vez os maconheiros de Floripa deixaram a desejar – exceto, é claro, pelo lindo público presente, que hempresentou com faixas, cartazes e muitos baseados acendidos a cada instante.

11148484_10206146707774394_5173126827990349731_o

Mas a omissão dos covardes e preguiçosos não invalida – e muito menos desanima – a militância canábica catarinense. “O que importa não é apenas a quantidade, mas a qualidade do público presente”, lembrou Lucas Lichy ao final do evento, quando rolou uma roda gigante com muitos baseados vindo de todos os lados.

Lichy aproveitou a ocasião para convidar a todos para a próxima manifestação canábica em Floripa, que deve acontecer em 27/11, no Dia pela Legalização da Maconha no Brasil.

*Fotos: Marcelo Groo (Instituto da Cannabis)

You may also like
7 plantas proibidas no Brasil (além da maconha!)
78% dos brasileiros são favoráveis ao uso terapêutico da maconha
Ministro Barroso divulga vídeo com defesa de descriminalização da maconha
Caso APEPI: Justiça ordena ação policial em fazenda de maconha para fins medicinais

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.