Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > MUNDO > Menina de 5 anos é autorizada a levar cannabis medicinal para escola na Califórnia

Menina de 5 anos é autorizada a levar cannabis medicinal para escola na Califórnia


Espalhe a boa !
  • 351
    Shares
Na Califórnia, uma garotinha de 5 anos ganhou permissão especial para levar maconha medicinal para a escola.

Portadora de síndrome de Dravet – uma forma rara de epilepsia – Brooke Adams, de 5 anos, utiliza óleo de cannabis no tratamento da doença. Sem o medicamento, a pequena não consegue frequentar as aulas, pois as severas convulsões ocorrem subitamente.

Por este motivo, a criança deve carregar o óleo de maconha consigo o tempo todo, segundo explicou sua mãe, Jana Adams, ao The Press Democrat.

Tal situação tornou-se problemática assim que Brooke iniciou sua vida pré-escolar, transformando-se numa verdadeira disputa jurídica entre o Distrito Escolar de Rincon Valley e a família Adams.

No início do ano, o Distrito Escolar impediu Brooke de trazer sua medicação para a escola, alegando barreiras estaduais e federais que proíbem a presença de maconha medicinal nas escolas. Os advogados que representam a família da criança dizem que a postura do Distrito viola as regras que protegem os alunos com deficiências.

Ordem judicial

Na segunda-feira (13/8), a garotinha finalmente pôde iniciar as aulas na pré-escola sob ordem judicial que lhe permite frequentar a escola enquanto um juiz decide se o Distrito Escolar de Rincon Valley pode proibir a medicação.

A ordem permite que Brooke leve seu óleo de cannabis para a escola e exige que uma enfermeira esteja disponível para administrar a medicação à menina, se necessário.

Com a recente aprovação pela FDA de um remédio à base de maconha para tratamento da epilepsia, é provável que muitas outras escolas nos Estados Unidos sejam acusadas por práticas discriminatórias caso tentem impedir que alunos, como Brooke, frequentem as aulas.

You may also like
Vaporizadores já são mais comuns do que cigarros entre militares dos EUA
Doença pulmonar nos EUA pode estar ligada a produtos de maconha
Nova York arquiva 150 mil processos sobre posse ou consumo de maconha
Cientistas americanos criam bafômetro capaz de reconhecer uso de maconha

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.