Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > ESTILO DE VIDA > SEXO > Pesquisa de Harvard afirma que usuários de cannabis possuem mais espermatozoides

Pesquisa de Harvard afirma que usuários de cannabis possuem mais espermatozoides


Espalhe a boa !
  • 602
    Shares
Atenção, homens – e casais interessados na procriação: estudo da Universidade de Harvard aponta que o consumo de cannabis pode elevar a contagem de espermatozoides. 

É isso mesmo que você leu: ao contrário do que o esperado pelos médicos, ao que tudo indica a maconha pode aumentar a fertilidade masculina.

Segundo o estudo, recém-publicado na revista Human Reproduction, os usuários de cannabis apresentaram um maior equilíbrio nas taxas de espermatozoides do que os não-usuários. Sendo assim, os maconheiros estariam mais propensos a engravidarem suas parceiras.

Metodologia

A pesquisa de longo prazo envolveu 662 homens, que tiveram amostras de sêmen coletadas durante 17 anos. Cerca de 55% dos participantes tinham, em algum momento da vida, feito uso da erva, sendo que 11% eram usuários regulares de maconha.

De acordo com os resultados apurados, os maconheiros (ou ex-maconheiros) possuíam uma concentração média de 62,7 milhões de espermatozoides por mililitro, enquanto os não-usuários tinham média de 45,4 milhões/mililitro.

Além disso, apenas 5% dos usuários de maconha apresentaram a contagem de espermatozoides inferior a 15 milhões/ml, o limite estabelecido pela Organização Mundial de Saúde como um nível “normal”, em comparação com 12% dos homens que nunca tinham fumado cannabis.

Vale lembrar que, para a fertilização do óvulo, o sêmen deve conter mais de 20 milhões de espermatozoides por mililitro.

Resultados surpreenderam os médicos

“Essas descobertas inesperadas destacam o quão pouco sabemos sobre os efeitos da maconha sobre a saúde reprodutiva e, de fato, sobre os efeitos da maconha sobre a saúde em geral”, disse o co-autor do estudo, Jorge Chavarro, especialista em nutrição e epidemiologia da Universidade de Harvard.

“Nossos resultados precisam ser interpretados com cautela e eles destacam a necessidade de um estudo mais aprofundado sobre os efeitos do uso da maconha sobre a saúde”.

Clique aqui para acessar o estudo na íntegra.

Que tal turbinar a sua mente?

O conteúdo deste site foi criado por mentes turbinadas com café (Mary4:20)! 

SAIBA MAIS

 

You may also like
Argentina aposta na produção estatal de maconha para uso terapêutico
CBD auxilia no tratamento de problemas causados pelo uso de álcool
Portugal legaliza uso de maconha com fins terapêuticos
OMS revê posição sobre uso terapêutico da maconha

Leave a Reply