Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > ESTILO DE VIDA > SEXO > Pesquisa de Harvard afirma que usuários de cannabis possuem mais espermatozoides

Pesquisa de Harvard afirma que usuários de cannabis possuem mais espermatozoides


Espalhe a boa !
  • 610
    Shares
Atenção, homens – e casais interessados na procriação: estudo da Universidade de Harvard aponta que o consumo de cannabis pode elevar a contagem de espermatozoides. 

É isso mesmo que você leu: ao contrário do que o esperado pelos médicos, ao que tudo indica a maconha pode aumentar a fertilidade masculina.

Segundo o estudo, recém-publicado na revista Human Reproduction, os usuários de cannabis apresentaram um maior equilíbrio nas taxas de espermatozoides do que os não-usuários. Sendo assim, os maconheiros estariam mais propensos a engravidarem suas parceiras.

Metodologia

A pesquisa de longo prazo envolveu 662 homens, que tiveram amostras de sêmen coletadas durante 17 anos. Cerca de 55% dos participantes tinham, em algum momento da vida, feito uso da erva, sendo que 11% eram usuários regulares de maconha.

De acordo com os resultados apurados, os maconheiros (ou ex-maconheiros) possuíam uma concentração média de 62,7 milhões de espermatozoides por mililitro, enquanto os não-usuários tinham média de 45,4 milhões/mililitro.

Além disso, apenas 5% dos usuários de maconha apresentaram a contagem de espermatozoides inferior a 15 milhões/ml, o limite estabelecido pela Organização Mundial de Saúde como um nível “normal”, em comparação com 12% dos homens que nunca tinham fumado cannabis.

Vale lembrar que, para a fertilização do óvulo, o sêmen deve conter mais de 20 milhões de espermatozoides por mililitro.

Resultados surpreenderam os médicos

“Essas descobertas inesperadas destacam o quão pouco sabemos sobre os efeitos da maconha sobre a saúde reprodutiva e, de fato, sobre os efeitos da maconha sobre a saúde em geral”, disse o co-autor do estudo, Jorge Chavarro, especialista em nutrição e epidemiologia da Universidade de Harvard.

“Nossos resultados precisam ser interpretados com cautela e eles destacam a necessidade de um estudo mais aprofundado sobre os efeitos do uso da maconha sobre a saúde”.

Clique aqui para acessar o estudo na íntegra.

Que tal turbinar a sua mente?

O conteúdo deste site foi criado por mentes turbinadas com café (Mary4:20)! 

SAIBA MAIS

 

You may also like
Vaporização é um dos melhores métodos para consumir CBD
Anvisa libera cultivo de maconha medicinal para associações
Canabidiol diminui agressividade, conclui estudo
Senado e Câmara discutem regulação do uso medicinal da maconha

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.