CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > NEGÓCIOS > Mercado europeu de cannabis medicinal deve crescer 5 vezes até 2021

Mercado europeu de cannabis medicinal deve crescer 5 vezes até 2021


Empresas devem movimentar 1,5 bi de euros nos próximos dois anos com produtos à base do composto da maconha para tratamento de doenças.

O mercado europeu do canabidiol (CBD) – composto da maconha utilizado com fins medicinais – deve aumentar mais de cinco vezes até 2021, atingindo o montante de 1,5 bilhão de euros (quase R$ 6,75 bi), segundo a Brightfield Group, firma de pesquisa de mercado de cannabis. Em 2018, o mercado europeu de produtos feitos à base de CBD movimentou 273 milhões de euros (cerca de R$ 1,20 bi).

Desde 2017, mais de 700 empresas baseadas na CBD foram registradas na Associação de Comércio de Cannabis, órgão comercial centrado no composto da cannabis para o Reino Unido e Europa.

Enquanto o mercado se aproveita rapidamente das lacunas na legislação e da mudança de percepção a respeito do uso da cannabis com fins medicinais para desenvolver e comercializar seus produtos, os governos ainda discutem – em ritmo mais lento – à sua regulamentação. Isso compromete a segurança dos produtos, mas ironicamente, os riscos não estão associados ao CBD em si.

Os principais laboratórios da Europa relatam que muitas empresas colocam produtos no mercado com uma quantidade de CBD inferior ao que atestam nas embalagens. Dentre as descobertas mais preocupantes para os consumidores – e para aqueles que produzem verdadeiramente produtos com o ingrediente – é a confirmação de produtos contendo canabinoides sintéticos, químicos perigosos ou drogas ilegais.

“À medida que o mercado de CBD continua seu crescimento exponencial, as autoridades europeias devem levar a sério as ameaças potenciais de uma indústria tão grande e não regulada. A Europa tem a reputação de proteger os seus cidadãos, mas quando se trata de cannabis, está atrasada”, defende o CEO e fundador da JKB Research, Jonas Duclos, em entrevista à revista Elite Business.

Duclos sofria na adolescência de dores em função de uma doença genética. Para combater isso, ele passou a usar a maconha e melhorou a sua qualidade de vida. Em 2017, fundou a empresa para ajudar outras pessoas que sofrem com situações semelhantes à sua. Assim como Duclos, 68% dos residentes do Reino Unido entrevistados numa pesquisa feita pela GlobalWeblndez – empresa de pesquisa de mercado – disseram ter encontrado alívio nas dores físicas, bem como benefícios para saúde mental com o CBD.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a maconha medicinal tem efeitos significativos para o tratamento da epilepsia, transtorno do estresse pós-traumático (TEPT) e até mesmo ansiedade.

*Fonte: Globo Rural

You may also like
Uso de vapes não está associado a maior número de lesões pulmonares
Maconha apresenta eficácia no combate às superbactérias
Brasileira lança incubadora e concurso para projetos canábicos inovadores
Pesquisa avalia tolerância à dor em usuários de cannabis

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.