CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > MUNDO > Colômbia autoriza uso industrial da maconha e sua exportação com fins terapêuticos

Colômbia autoriza uso industrial da maconha e sua exportação com fins terapêuticos

A Colômbia autorizou o uso industrial da maconha para a fabricação de têxteis, alimentos e bebidas à base de cannabis, além da exportação da planta para fins medicinais.

O presidente Iván Duque assinou nesta sexta-feira (23) o decreto que “elimina a proibição da exportação de flores secas” em evento organizado na Clever Leaves, uma das 18 multinacionais que cultivam cannabis medicinal na Colômbia. Assim, o país “entra para jogar grande no mercado internacional” de maconha, disse o presidente.

A Colômbia, principal produtor de cocaína do mundo e que abriga grandes plantações de maconha, legalizou a produção de cannabis medicinal em 2016.

Até agora, só era permitida a exportação de extratos da planta, mas não de suas flores. Segundo Eduardo Barrera, representante da empresa cultivadora Cañamonte, o veto às flores se deveu ao “temor” das autoridades diante de um possível desvio para o tráfico ilegal.

Em carta enviada ao presidente Duque em 14 de julho, o sindicato argumentou que essa regra os impedia de “acessar o maior e mais lucrativo segmento de mercado da indústria de cannabis medicinal”.

As flores, que concentram os compostos medicinais e psicoativos da planta, “podem representar 53% desse mercado mundial”, segundo Duque.

A nova norma também permite a fabricação de “derivados não psicoativos” da planta. “Não estamos mais apenas no uso farmacêutico. Estamos abrindo espaço para fazer muito mais em cosméticos (…) alimentos e bebidas” ou têxteis, enfatizou o presidente.

Fabián Currea, diretor de cultivo da Cañamonte, disse à AFP que o levantamento da proibição de exportação de flores “dá a possibilidade de explorar novos mercados” aproveitando os baixos custos de produção da planta na Colômbia.

A regra também “ajuda a controlar o mercado informal de produtos fraudulentos” baseados na maconha, que teve um “boom” recente na Colômbia, acrescentou.

O governo estima que, em 2024, o mercado da maconha medicinal pode se tornar uma indústria de 64 bilhões de dólares.

Outros países da região, como Uruguai, Equador e Peru, também legalizaram a produção de maconha para fins medicinais.

*Fonte: AFP, via Estado de Minas

*Junte-se à roda do Maryjuana no Telegram e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
You may also like
Argentina legaliza venda de sementes de maconha
Mercado de CBD vê ameaça após decisão do STJ sobre rol da ANS
Estudo brasileiro demonstra eficácia da cannabis contra superbactérias
Tailândia vai distribuir 1 milhão de mudas de maconha para a população

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.