CONTEÚDO JORNALISTÍCO PARA MAIORES DE 18 ANOS
Home > NOTÍCIAS > MUNDO > Suprema Corte do México descriminaliza uso recreativo de maconha

Suprema Corte do México descriminaliza uso recreativo de maconha

/

A Suprema Corte de Justiça do México descriminalizou nesta segunda-feira o uso recreativo da maconha para adultos, declarando inconstitucionais artigos da lei de saúde que o proibiam.

“Hoje é um dia histórico para as liberdades. Depois de uma longa trajetória, esta Suprema Corte consolida o direito ao livre desenvolvimento da personalidade para o uso recreativo da maconha”, disse o presidente do tribunal, Arturo Zaldívar, logo que a decisão foi aprovada por oito dos 11 magistrados.

A decisão foi anunciada após o término do prazo até 30 de abril que a corte deu ao Congresso para emitir uma legislação sobre o assunto, e se soma ao uso da maconha com fins terapêuticos, descriminalizado em 2017.

Em 10 de março, a Câmara dos Deputados do México aprovou um projeto de lei nesse sentido. Faltava a votação no Senado, que havia endossado o texto em novembro, mas que deveria retomá-lo, após as alterações feitas na Câmara.

No começo de abril, no entanto, a maioria governista no Senado disse que estava analisando o adiamento da discussão final até setembro. Ricardo Monreal, coordenador da bancada do partido presidencial, Morena, disse, na época, que o regulamento enviado pela Câmara continha inconsistências.

Embora organizações civis e especialistas tenham aplaudido a decisão da Suprema Corte, eles alertaram que o Congresso ainda precisa regulamentar a matéria. “A penalização dos usuários de cannabis ainda persiste, uma vez que a decisão não afeta o sistema penal e deixa um vazio jurídico no que diz respeito ao consumo, cultivo e distribuição” da planta, expressou no Twitter a ONG México Unido contra a Criminalidade.

Jorge Hernández Tinajero, ativista pela regulamentação da cannabis no México desde a década de 1990, apontou que o Legislativo foi incapaz de “regular a realidade”, como o porte e a comercialização de maconha. “Continuam mantendo as normas secundárias que criminalizam”, declarou à AFP.

Mercado gigante

Apesar disso, a decisão é um marco para o México, de 126 milhões de habitantes, mergulhado em uma espiral de violência desde 2006, quando o então governo federal lançou uma operação militar polêmica contra os cartéis do narcotráfico.

Desde então, o país acumulou mais de 300.000 assassinatos, a maioria deles atribuídos ao crime organizado, motivo pelo qual legisladores e ativistas acreditam que a legalização do consumo pode ajudar a conter o banho de sangue.

Entusiastas da descriminalização, como o Grupo Promotor da Indústria da Cannabis (GPIC), consideram que as medidas legais recentes caracterizam o México como maior mercado do mundo, acima dos Estados Unidos e do Canadá.

Apenas em 2020, 244 toneladas de maconha foram apreendidas no país.

A pesquisa nacional mais recente sobre drogas (2016) constatou que 7,3 milhões de mexicanos com idade entre 12 e 65 anos experimentaram maconha em algum momento e 1,82 milhão mostraram prevalência do consumo.

*Fonte: AFP, via Estado de Minas

**Junte-se à roda do Maryjuana no Telegram.
You may also like
78% dos brasileiros são favoráveis ao uso terapêutico da maconha
Ministro Barroso divulga vídeo com defesa de descriminalização da maconha
Deputado francês leva baseado ao Parlamento durante debate sobre legalização da maconha
Nova York aprova projeto de legalização da maconha

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.